Política | 02-05-2012 09:09

Empresas e Governo na mira no discurso do 1º de Maio em Santarém

Empresas e Governo na mira no discurso do 1º de Maio em Santarém
O coordenador da União de Sindicatos de Santarém (USS) criticou durante o discurso de celebração do Primeiro de Maio as empresas que anunciaram nos últimos meses o encerramento de unidades na região “por mera estratégia económica” e que adoptaram uma “estratégia de fachada” ao dizerem que estão a tentar encontrar alternativas para os funcionários que têm os seus postos de trabalho em risco. Na habitual festa promovida pela USS no Jardim da República, em Santarém, Rui Aldeano apontou o dedo ao Jumbo e à Unicer, que vão encerrar as suas unidades em Santarém, bem como à Tegael, em Coruche, e à Martifer, em Benavente, pelas mesmas razões.Rui Aldeano, que pela primeira vez discursou no 1º de Maio como líder da União de Sindicatos de Santarém, lançou fortes críticas ao Governo, que com as suas políticas “levou a um recuo sem precedentes das condições de vida dos portugueses”, e garantiu que a luta pelos direitos laborais vai continuar. “Hoje como no 25 de Abril é o povo quem mais ordena”, avisou perante os aplausos de largas dezenas de pessoas, entre as quais o presidente da Câmara de Alpiarça Mário Pereira, o vereador da Câmara de Torres Novas Mário Tomé, o ex-coordenador da USS Valdemar Henriques ou o presidente da Junta de Freguesia de Asseiceira Augusto Figueiredo.* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1360
    19-07-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1360
    19-07-2018
    Capa Vale Tejo