Política | 27-01-2013 02:31

Grupos de trabalho criados na Câmara de Santarém por Moita Flores foram extintos

Os dois grupos de trabalho criados em Agosto de 2010 por Moita Flores, compostos cada um por quatro pessoas e que tinham por missão ajudar a criar a Fundação da Liberdade e assegurar a manutenção e requalificação do Convento de São Francisco, foram extintos apesar da sua vigência estar prevista por quatro anos. Essas tarefas passam a ser asseguradas pelos serviços da Câmara de Santarém, confirmou ao nosso jornal o actual presidente do município, Ricardo Gonçalves (PSD), explicando que o fim dessas equipas decorre da implementação do novo organograma do município.Recorde-se que para coordenar a equipa do projecto Fundação da Liberdade e Campus do Ministério da Justiça foi nomeada Ana d'Avó, pessoa do núcleo duro de Moita Flores que actualmente se encontra de licença sem vencimento. Uma ausência que, ao que apurámos, não terá consequências de maior, já que o projecto da Fundação da Liberdade, uma das bandeiras de Moita Flores, se encontra em ponto morto e deverá ser reformulado devido à actual situação económica, como já anunciou Ricardo Gonçalves.Já no caso do Convento de São Francisco, Marco Loja foi o nomeado para coordenador do projecto que tinha como missão assegurar a manutenção do monumento integrado na temática "Religiões" da Fundação da Liberdade. Além disso deveria mobilizar mecenas e investidores interessados em proceder ao restauro no âmbito do programa "amigos de S. Francisco" e assim "criar as condições para a autonomia financeira do espaço".* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo