Política | 22-10-2013 11:15

Ricardo Gonçalves convicto que não será um problema governar sem maioria absoluta

Ricardo Gonçalves convicto que não será um problema governar sem maioria absoluta
O presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves (PSD), considerou, durante o seu discurso após tomar posse, que “não é nem será um problema” gerir a autarquia sem maioria absoluta, manifestando convicção de que o executivo estará unido sobre o que é essencial e estratégico para o concelho. “Podemos não pensar todos da mesma maneira, podemos não vir todos do mesmo lugar, mas queremos todos avançar na mesma direcção. Por isso este é momento de optar pela união em vez da divisão, de optar pela comunhão de objectivos em vez da discórdia, porque é mais aquilo que nos une do que aquilo que nos divide”, afirmou Ricardo Gonçalves na tarde de segunda-feira, 21 de Outubro, no Convento de São Francisco, antes de dizer em jeito de aviso: “Santarém é maior do que a soma de todas as eventuais ambições pessoais ou partidárias. Aqueles que não estiverem dispostos a abrir a mão e a estendê-la para que possamos caminhar lado a lado em prol de Santarém vão rapidamente perceber que estão do lado errado da história.” Para já tanto PS (que tem quatro elementos na vereação, tantos como o PSD), como o vereador da CDU não se alongam em intenções, embora se fale na possibilidade de haver distribuição de alguns pelouros pela oposição. A socialista Idália Serrão diz que com ela ainda ninguém falou sobre o assunto e que não há por isso qualquer posição tomada. Francisco Madeira Lopes, vereador da CDU, remete uma posição para depois da reunião da coordenadora concelhia da CDU. Mas adverte desde já que não se reviu no discurso do presidente. “Obviamente todos queremos o melhor para a nossa terra, mas isso faz-se também com a sã divergência democrática em todos os órgãos, porque o unanimismo não é bom”. Enquanto não são dissipadas essas dúvidas, Ricardo Gonçalves vai prometendo trabalho, empenhamento e rigor nas contas. “Pouco ou nada podemos fazer sobre a evolução das contas públicas ou pela estabilidade do panorama político nacional, mas garantir que a Câmara de Santarém é gerida de forma eficiente e responsável estás nas nossas mãos e só nas nossas mãos. Garantir que se está ao serviço dos escalabitanos independentemente do seu partido ou preferência política está nas nossas mãos e só nas nossas mãos”. Sublinhando que a campanha eleitoral acabou no dia 29, o autarca garantiu que seguirá “uma política dedicada a unir pessoas, com o objectivo de trabalhar para o contínuo desenvolvimento económico e social das pessoas”. E reforçou a tónica em torno da união. “As políticas autárquicas não têm ideologia, não têm partidos. Estou certo que todos assumiremos as nossas responsabilidades perante os que nos elegeram. Os escalabitanos esperam de nós, união, acção, resultados. Que todos nós tenhamos o discernimento necessário para assumir essas responsabilidades e alcançar os resultados desejados”. Após a tomada de posse de todos os eleitos da câmara e assembleia municipal procedeu-se à eleição da mesa da assembleia. Concorreram duas listas, uma do PSD e outra do PS, tendo ganho a do PSD. António Pinto Correia foi reeleito para presidente desse órgão, tendo como 1º secretário Manuel Joaquim Vieira e como 2ª secretária Ana Teresa Antunes.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Edição Vale Tejo