Política | 12-12-2017 12:02

Orçamento cresce em Vila Franca de Xira para 62 milhões

Orçamento cresce em Vila Franca de Xira para 62 milhões

Investimento público vai representar 28 por cento do total da despesa.

Vila Franca de Xira aprovou esta semana em reunião de câmara o seu orçamento municipal para 2018 que será de 62 milhões e 802 mil euros, superior em 2,79 por cento ao orçamento anterior. A CDU votou contra, o Bloco de Esquerda absteve-se e o PS e a Coligação Mais (PSD/CDS-PP/MPT/PPM) votaram favoravelmente.

É um orçamento “prudente” e “equilibrado”, nas palavras de Alberto Mesquita (PS), presidente do município, que prioriza o investimento público, responsável por 28 por cento da despesa municipal prevista para o próximo ano, que será financiado de forma “significativa e relevante” pelas receitas correntes a arrecadar pelo município.

O orçamento para o próximo ano prevê também investimentos com financiamento comunitário do programa Portugal 2020 em montante superior a 11 milhões de euros e apresenta uma margem orçamental positiva resultante da aplicação da regra do equilíbrio corrente prevista no regime legal financeiro das autarquias locais num montante superior a 7 milhões e 400 mil euros. Alberto Mesquita voltou a “recusar” o empolamento das receitas.

Regina Janeiro, da CDU, lamentou que os socialistas não tivessem tido em conta um conjunto de medidas e sugestões apresentadas pela sua força política e notou que este é mais um “orçamento de continuidade” que não traz respostas às novas necessidades da população. Lamentou que o orçamento participativo previsto para o próximo ano vá avançar sem ter a opinião dos moradores e defendeu um programa de incentivo ao investimento, bem como uma melhor política de promoção dos transportes, maior dinamização das quintas municipais e um museu da tauromaquia em que, criticou, “nada se adianta”.

O Bloco, que se absteve, também notou que se trata de um orçamento de continuidade e lamentou que este não fosse mais ambicioso. Carlos Patrão defendeu que o município adquirisse, por cerca de 400 mil euros, dois equipamentos de monitorização da qualidade do ar, para, “de forma independente”, controlar e monitorizar as emissões de monóxido de carbono, óxidos de azoto e enxofre junto a algumas fábricas do concelho com episódios recentes de poluição atmosférica. Alberto Mesquita admitiu “avaliar” a ideia.

Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) de Vila Franca de Xira apresentaram também um orçamento para o próximo ano pautado pelo “rigor e contenção”, de 18 milhões e 502 mil euros. O documento prevê a renovação das infraestruturas do concelho e ao nível do saneamento a “renovação e expansão” da rede de drenagem de águas residuais domésticas e pluviais do concelho.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo