Política | 02-01-2018 08:58

Azambuja admite avançar com um processo contra o Estado

“Já colocámos um processo contra ao Estado devido ao caso da Opel, por isso este seria mais um”, disse o presidente da câmara.

O município de Azambuja pretende colocar um processo contra o Estado português e as Infra-Estruturas de Portugal. Em causa está a falta de segurança, o estacionamento abusivo dos camiões nas bermas e a acumulação de lixo ao longo da Estada Nacional (EN) 3 entre Azambuja e Carregado. “Já colocámos um processo contra ao Estado devido ao caso da Opel, por isso este seria mais um”, admite o autarca.


“Esta via é quase insuportável a nível de tráfego pesado”, admite o eleito municipal, José Carlos Matos (CDS), defendendo que devia de haver parques de estacionamento como nos concelhos vizinhos. Da mesma opinião partilhou o presidente da Junta de Freguesia de Vila Nova da Rainha, Mário Parruca (PS), acrescentando que aquele troço já foi palco de vários acidentes mortais e que, por isso, a melhor solução seria colocar-se um traço contínuo entre Azambuja e Vila Nova da Rainha. Já para o eleito municipal José Brás dos Santos (PS), o mal está, sobretudo, na actuação da GNR. “Em vez de multar quem estaciona mal, a GNR prefere multar quem estaciona no lugar reservado à farmácia e está no café”, confessa.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1333
    11-01-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1333
    11-01-2018
    Capa Médio Tejo