Política | 02-04-2018 08:06

Oposição cerra fileiras contra maioria CDU em Benavente

Oposição cerra fileiras contra maioria CDU em Benavente
Foto O MIRANTE

Vereador do PSD renunciou ao pelouro que lhe tinha sido atribuído e o PS exige a demissão do presidente da câmara Carlos Coutinho.

Ricardo Oliveira, vereador do PSD na Câmara de Benavente, renunciou na última semana ao pelouro bipartido que tinha com os eleitos da CDU referente à revisão do Plano Director Municipal (PDM). O autarca justificou a decisão com o facto de não receber comunicação suficiente sobre o processo por parte do executivo CDU que gere a câmara.
Ricardo Oliveira era o único vereador da oposição que ainda tinha esse pelouro, já que Pedro Pereira, do PS, já recusara também essas atribuições queixando-se de que, na prática, não havia comunicação entre a gestão CDU e a oposição. “A atribuição de pelouros deve corresponder a uma constante partilha de informação entre o presidente da câmara e os vereadores. Ter pelouros só por ter não corresponde ao que o PSD preconiza como uma gestão autárquica responsável. Desde final de Janeiro que o PSD pediu que, no início de cada mês, lhe fosse enviada por escrito informação acerca do processo PDM, o que não aconteceu”, explica o partido em comunicado.
O PSD lamenta não ver da parte do presidente da câmara Carlos Coutinho (CDU) “uma vontade voluntária” em partilhar informações relevantes sobre assuntos relacionados com o PDM. Carlos Coutinho manifestou surpresa pela decisão e já nas últimas reuniões de câmara o autarca vinha assegurando que quer manter uma postura aberta e dialogante com a oposição, tendo garantido que o executivo se empenhará em dar-lhes mais informação ao longo do mandato.

Socialistas querem demissão do presidente
Entretanto na sequência da renúncia de Ricardo Oliveira o Partido Socialista de Benavente emitiu um comunicado onde pede a demissão de Carlos Coutinho do cargo, por entender que o mesmo “não tem condições” para o exercer. “Este é um presidente que prejudica gravemente o interesse público. Que apenas mandou fazer uns projectos pagos a preço de ouro a algumas empresas externas, porque o Governo desbloqueou fundos comunitários para o efeito. Caso contrário, o município de Benavente estava completamente deserto de ideias, de propostas, de projectos e sem obra feita. Este é um presidente que elogia funcionários acusados de corrupção e os promove, que persegue politicamente os seus adversários políticos, fecha os olhos e faz vista grossa às obras ilegais dos camaradas do seu partido comunista”, lê-se no documento.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1352
    24-05-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1352
    24-05-2018
    Capa Vale Tejo