Saúde | 31-03-2005 17:52

Ribatejanos com maior propensão para sofrer AVC

Os residentes nos distritos de Aveiro, Beja, Évora e Santarém têm maior probabilidade de sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC) nos próximos dez anos, segundo um estudo realizado pela Fundação Portuguesa de Cardiologia (FPC).Os resultados deste estudo, intitulado Projecto STOP AVC, foram divulgados hoje, Dia Nacional do Doente com Acidente Vascular Cerebral.O projecto consistiu num conjunto de rastreios nas capitais de distrito, realizados em 2004, com o objectivo de informar e esclarecer a população da necessidade de alteração de hábitos e de comportamentos tendentes a reduzir o risco cardiovascular.Através de 5.275 rastreios foi ainda avaliada a probabilidade de desenvolvimento de um AVC nos próximos anos, tendo o estudo concluído que os residentes nos distritos de Aveiro, Beja, Évora e Santarém são os que apresentam maior probabilidade de sofrer um AVC no prazo de uma década.Por seu lado, os cidadãos que vivem em Coimbra, Faro, Guarda e Viseu foram os que se mostraram com menor probabilidade de AVC.Segundo os resultados da campanha STOP AVC, mais de metade da população rastreada apresentou valores da tensão arterial sistólica (a máxima) "acima dos recomendados".Menos de metade dos inquiridos com tensão arterial alta estavam a ser tratados (44,5 por cento), segundo as conclusões do estudo.Outro factor de risco de AVC avaliado foi a diabetes, tendo os rastreios apurado que 14 por cento dos inquiridos sofria desta doença crónica.Dos inquiridos, 6,3 por cento assumiram ser fumadores, tendo o sexo masculino registado uma maior prevalência deste vício.Segundo a Fundação Portuguesa de Cardiologia (FPC), as doenças cardiovasculares continuam a ser a principal causa de morte em Portugal, sendo responsáveis por cerca de 42 por cento do total de óbitos.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo