Saúde | 17-01-2013 13:26

Deputado do PCP questiona Governo sobre falta de médicos na Chamusca

O deputado do PCP António Filipe questionou o Ministério da Saúde sobre a colocação de mais dois médicos na Unidade de Saúde Familiar da Chamusca, após constatar que mais de 1500 pessoas estão sem médico de família.Depois de uma visita ao concelho, António Filipe disse ter constatado que o município da Chamusca é servido por uma Unidade de Saúde Familiar (USF) destinada a cobrir as necessidades de 7800 utentes, que dispõe apenas de quatro médicos, em vez dos seis inicialmente previstos.Os restantes 1500 utentes do concelho, sem médico de família, são assistidos por dois médicos do Centro de Saúde, que se deslocam às extensões de Vale de Cavalos, Chouto, Ulme e Parreira."Para assegurar as necessidades dessas populações foram atribuídas pelos Ministério da Saúde mais 25 horas semanais extra, a ser asseguradas através dos serviços de uma empresa de prestação de serviços médicos", disse o deputado, tendo observado que, porém, "essa empresa não disponibilizou ainda os médicos necessários" para esse efeito.Num requerimento enviado à Assembleia da República, o deputado eleito pelo círculo de Santarém questiona que diligências estão a ser equacionadas com vista a dotar a equipa de Cuidados Continuados Integrados do Centro de Saúde da Chamusca com os profissionais em falta (fisioterapeuta, psicólogo e nutricionista), e com uma viatura própria para as suas deslocações na comunidade.O deputado comunista pergunta ainda se o Ministério da Saúde está a equacionar, com o Ministério da Agricultura, a utilização do edifício da Zona Agrária, na Chamusca, para dotar o Centro de Saúde de instalações condignas.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo