Saúde | 30-10-2013 00:06

População e autarcas exigem mais médicos para o concelho de Salvaterra de Magos

A população e os autarcas de Salvaterra de Magos exigiram na noite de segunda-feira, 28, o reforço de médicos no concelho e decidiram lançar uma petição e marcar uma manifestação para a próxima semana."Temos a noção de que há falta de médicos em muitas zonas do país, mas nós ainda estamos muito abaixo e em pior situação do que esses casos. Face à dimensão brutal do problema [falta de médicos no concelho], apenas reivindicámos um tratamento justo e igual que existe com outros concelhos", defende Nuno Antão, da Comissão de Utentes da Saúde do Concelho de Salvaterra de Magos (CUSCSV).Antão falava à agência Lusa após um plenário realizado na noite de segunda-feira na Casa do Povo de Glória do Ribatejo, que contou com "cerca de 400 pessoas", além do novo presidente Câmara de Salvaterra de Magos, Hélder Esménio (PS), e dos presidentes de junta das quatro freguesias do concelho: União de Freguesias de Salvaterra de Magos e de Foros de Salvaterra, União de Freguesias de Glória do Ribatejo e Granho, Muge e Marinhais."Se a situação actual se mantiver e se nada for feito, em Janeiro, vamos ter apenas três médicos para 22.500 utentes e tudo concentrado em Salvaterra de Magos. A população está revoltada e indignada com esta situação", frisou Nuno Antão.Segundo dados da CUSCSV, os 5.500 residentes nas localidades da Glória do Ribatejo, Granho e Muge estão sem médico e sem qualquer apoio na área da enfermagem. Na freguesia de Marinhais há apenas um médico para os 6.500 utentes, enquanto em Foros de Salvaterra os 5.000 residentes também dispõem apenas de um clínico. * Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Edição Vale Tejo