26º Aniversário | 20-11-2013 15:20

20 anos ao serviço do conhecimento e da cultura

A completar 20 anos de atividade, muitas são as ações que a Biblioteca Municipal António Botto tem vindo a realizar, dando continuidade à programação regular a que os seus utilizadores se foram já habituando. Para celebrar a efeméride estará patente ao público até dia 14 de dezembro, no interior do edifício, a exposição “20 anos: Uma Rede de Bibliotecas para a Sociedade do Conhecimento”.Recursos documentais em vários suportes, analógicos e digitais, representam uma das portas de entrada privilegiadas no mundo de cultura e aprendizagem que a Biblioteca Municipal António Botto põe ao alcance de todos. Hoje, com mais de 12 500 utilizadores inscritos, 226 lugares sentados e 14 computadores disponíveis ao público, continua a prestar diariamente uma multiplicidade de serviços. Empréstimo de documentos (livros, filmes, música, etc.); PAB - Ponto de Acesso à Biblioteca (Freguesias de Alferrarede e Concavada); SELESE - Serviço de Leitura em Suportes Especiais (deficientes visuais); Catálogo virtual; Salas de leitura (Multimédia, Fundo Local e Periódicos, Adultos e InfantoJuvenil); Oficinas de animação; Horas do Conto; Encontros com autores e ilustradores; Espaços de exposições; Sala de conferências e formação; Computadores com acesso à internet; acesso a Internet sem fios (wireless); Venda de publicações municipais; Reprografia (para documentos da biblioteca); Cartão Jovem Municipal e Empréstimo Interbibliotecas.Apesar de existir durante largas décadas uma biblioteca na cidade de Abrantes, este equipamento moderno foi construído (entre 1990 e 1993) numa ala do Convento de São Domingos através de um contrato programa entre o Município e o Instituto Português do Livro e da Leitura. A nova biblioteca, concebida de acordo com o programa da Rede Nacional de Leitura Pública, num projeto da autoria do Arq. Duarte Castel-Branco, abriu em 26 de Novembro de 1993 e recebeu o nome António Botto, em homenagem àquele poeta abrantino.Porque as bibliotecas também se assumem como espaços e equipamentos intergeracionais e virados para o futuro tem havido uma aposta reforçada no acesso de proximidade e na utilização das tecnologias da informação. Prova disso é a nova Biblioteca Itinerante de Abrantes (BIA) que retomou a circulação pelo concelho e que, 20 anos depois de ter sido extinta, voltou a fazer as delícias das crianças, evocando a memória da antiga biblioteca itinerante da Gulbenkian que, para muitos, foi único acesso disponível para a leitura. Para além da BIA, biblioteca equipada com livros, periódicos, documentos audiovisuais e dois computadores multimédia com acesso à Internet e sistema de visionamento de filmes (TV e DVD), a câmara municipal tem vindo ainda a investir na abertura de bibliotecas nos centros escolares nas Escolas Básicas de Alferrarede, Bemposta, Tramagal, Rio de Moinhos, Abrantes nº 2, Pego, Carvalhal, Chainça, Rossio ao Sul do Tejo, Escola Básica/ J.I. António Torrado e no âmbito das bibliotecas caixa tem sido dado também apoio à Biblioteca da Escola D. Miguel de Almeida (Agrupamento D. Miguel de Almeida) e algumas escolas do 1º ciclo do agrupamento Dr. Manuel Fernandes. Também funciona em Bemposta a Biblioteca Lisardo Leitão.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo