26º Aniversário | 20-11-2013 15:05

A Santa Casa do século XXI

É de olhos postos no futuro, a renovar esperanças e a trilhar novos caminhos, que a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa marca atualmente a vida dos portugueses. A primeira Misericórdia portuguesa distingue-se hoje como instituição de referência a nível nacional, que inspira congéneres europeias, pelas causas que abraça e pela eficácia dos resultados: da Ação Social, à Cultura e Património, Investigação e Cuidados de Saúde, Jogos Sociais que gere em nome do Estado (Jogos Santa Casa) até às áreas do Empreendedorismo e Inovação Social.Firme na vontade de estar cada vez mais próxima de quem precisa, a Santa Casa do século XXI é moderna e inovadora na sua ação, valores que se estendem também à sua atual imagem. A instituição que nasceu em 1498 da ousadia de uma mulher, a rainha D. Leonor, entra nos novos 515 anos com um espírito de vanguarda, para promover a melhoria das condições de vida da população, mais diretamente na capital. Mas para inspirar também boas práticas por todo o país e potenciar novos conhecimentos.Atenta aos tempos, está a expandir a sua atuação a novas áreas, com soluções e abordagens pioneiras. É o caso do novo paradigma de promoção de um envelhecimento ativo, na proximidade entre gerações, meta assumida pela atual Administração.Num contexto em que as Artes e Letras vêem os recursos diminuir, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa reforça a aposta na Cultura, procurando dinamizar o acervo artístico da instituição e requalificar o seu extenso património arquitetónico, bem como património relevante por todo o país. No apoio à Cultura Nacional, destacam-se ainda as iniciativas para promover a música portuguesa e os novos talentos, bem como o objetivo da instituição de chegar a públicos mais jovens, marcando presença em grandes eventos de música nacionais.Na Saúde, inaugurou recentemente a Unidade de Saúde Maria José Nogueira Pinto, para Cuidados Continuados e Paliativos, inovadora ao integrar a componente de reabilitação; e lançou o programa “Saúde Mais Próxima”, que vai ao encontro das pessoas, nas ruas da capital, com rastreios gratuitos.O Banco de Inovação Social, para apoiar projetos geradores de emprego e de valor social, é fruto deste empenhamento em responder aos grandes desafios do nosso tempo. Disto são também relevadoras as Bolsas Santa Casa Neurociências recentemente lançadas: a Santa Casa, de forma inédita na sua história, investe diretamente, e com ambição, na investigação médica e científica que se faz em Portugal. E fá-lo com a atribuição de dois galardões de 200 mil euros cada, as maiores bolsas nacionais nesta área.Levar a obra da Santa Casa a todo o país, para tocar cada vez mais pessoas, é objetivo da atual Administração, nomeadamente através do estreitamento de relações com outras Misericórdias. Esta constitui, de resto, a marca do ADN da Santa Casa do século XXI: inovar na promoção das boas causas, para construir um futuro melhor.* Texto escrito segundo as regras do novo acordo ortográfico

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo