28º Aniversário | 18-11-2015 11:50

“Há muito a fazer para ajustar as ofertas formativas às saídas profissionais”

Fale-nos da sua vida profissional e da forma como lá chegou. Apesar de estar a desempenhar funções autárquicas a tempo inteiro desde Novembro de 1995, sou professora, profissão que exerci entre 1985 e 1995. Lembro que quando era jovem e chegou a altura de escolher uma profissão decidi ser professora e de ciências pois era uma matéria de que gostava. Não hesitei e assim foi. Licenciei-me em Ensino de Biologia e Geologia na Universidade de Aveiro. De todo o modo registo que durante o ensino secundário apenas tinha um objectivo: estudar para ter uma profissão em que me sentisse realizada e principalmente para ter a minha independência económica sem a qual não se é completamente livre. A família ajuda e é parte importante da estratégia profissional? Neste percurso a família foi muito importante, como o é até hoje. Contudo, a idade não perdoa e hoje também eu sou o seu suporte. Naturalmente que conto com a família no meu quotidiano mas não se envolvem na estratégia profissional, pelo contrário, o trabalho fica à porta da casa…Está preparada para tudo na sua vida profissional? Creio que sim. Para as coisas boas não tenho dúvidas. Para as menos boas, ou mesmo más, a experiência de vida pessoal e profissional diz-me que sim. Quem me conhece sabe do que falo: já ultrapassei muitos obstáculos. Felizmente sou resiliente.Como classifica os recursos humanos disponíveis no mercado? Nem sempre ajustados ao mercado de trabalho, sendo que neste aspecto muito há a fazer para ajustar as ofertas formativas às saídas profissionais. Apesar de existir uma faixa da população com baixa escolarização e sem qualificação profissional, o que mais facilmente os empurra para o desemprego, verifica-se felizmente que muitos para além de certificação profissional possuem competências pessoais e sociais que os habilitam para o mercado de trabalho. Contudo, na actual conjuntura há necessidade de mais jovens empreendedores.Comente a situação actual do país onde vive e da sua região em particular. A nossa região não é diferente do contexto sócio económico do país com todas as repercussões que daí advêm. No entanto, a sua riqueza natural e patrimonial é riquíssima, repleta de potencialidades. Eu diria mesmo que é bom viver na nossa região.Lembra-se da última vez que usou a bicicleta como meio de transporte? Não e em Constância não é fácil.Qual a tradição que nunca podemos deixar morrer? A celebração do Natal.O respeitinho é muito bonito? Claro!A beleza é fundamental? Ajuda!O ensino do fandango devia ser obrigatório nas escolas ribatejanas? Obrigatório não digo mas deveria ser ensinado. Duvido é que todos aprendessem!O Facebook e as outras redes sociais melhoraram a sua vida? Sim! Encontrei colegas que não “via” há anos.Gosta de uma boa discussão? Adoro!Já se sente à vontade a escrever com o novo Acordo Ortográfico? Não faço por isso.Deitar cedo e cedo erguer dá saúde e faz crescer? Depende da idade.O que tem que fazer um homem para ser um verdadeiro homem? Ser um homem!Quantas vezes muda de canal por noite quando está a ver televisão? Poucas… adormeço facilmente.Quem lhe contava histórias quando era criança? A minha mãe.Fazem falta mais mulheres na política? Sem dúvida.Quais as qualidades que mais aprecia numa pessoa? Gratidão.Qual a promessa que fez a si próprio mais vezes no início de cada ano e que vai continuar a fazer porque ainda não conseguiu cumpri-la? Ter mais tempo para mim.Qual é o seu maior defeito? Resposta difícil por serem muitos…Alguma vez escreveu um poema? Só na escola…Há alguma coisa pela qual ainda valha a pena lutar até à morte se necessário for? A liberdade.Qual foi a sua maior extravagância? Não sei.Durante quanto tempo é capaz de guardar um segredo? Toda a vida.Fecha a água enquanto escova os dentes ou enquanto se ensaboa no banho? Ui! Nem sempre…A Justiça é igual para todos? A Justiça creio que sim, mas o acesso à justiça infelizmente não é igual para todos.Qual o seu prato preferido de bacalhau? Bacalhau no forno com grelos e batatas assadas.Sabe algum refrão de uma cantiga do Quim Barreiros? Claro!Viu algum filme do cineasta Manoel de Oliveira do princípio ao fim? Com mais ou menos interesse mas sim. Aliás penso que todos viram Aniki Bóbó até ao fim….Subscrevia uma proposta para termos outro hino nacional? Não.Alguma vez frequentou uma praia de nudismo? Não.Este Mundo está perdido? Não.Em sua casa já se faz a separação do lixo? Sim, há muitos anos.Sendo o preço médio de mil litros de água da rede um euro e meio podemos dizer que a água está cara? Se pensarmos que compramos 1 litro de água engarrafada por 1 euro então 1000 litros de água da rede por 1,5 euros é quase de borla….O que sente quando vê pessoas a pagar promessas de joelhos em Fátima? Respeito.Quantos verdadeiros amigos acha que tem? Depende do conceito mas diria que vários.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo