uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
População de Alverca voltou a virar costas ao orçamento participativo da junta

População de Alverca voltou a virar costas ao orçamento participativo da junta

Numa união de freguesias com 34 mil pessoas apenas 14 apresentaram propostas

Edição de 13.04.2017 | Política

O Orçamento Participativo (OP) promovido pela Junta de Freguesia de Alverca e Sobralinho, liderada por Afonso Costa (PS), voltou a não cativar a população dessa zona do concelho de Vila Franca de Xira e em mais de 34 mil moradores apenas 14 apresentaram propostas. E dessas apenas duas estão dentro das competências da junta e por isso poderão avançar.
As restantes diziam respeito a intervenções que estão no domínio da Câmara de Vila Franca de Xira, justificou na última semana o presidente da Junta de Alverca, no balanço de mais uma edição do orçamento participativo em que a junta disponibiliza 20 mil euros para serem usados em obras propostas pelos moradores.
Tal como nos anos anteriores a população voltou a virar costas à iniciativa e vários residentes, escutados por O MIRANTE, nem sabiam que houve um orçamento participativo. A junta comunica que está a decorrer o OP nos seus espaços públicos, internet e redes sociais, mas mesmo assim muita gente passa ao lado da iniciativa.
Apesar disso na última semana a junta fez um “balanço positivo” do projecto à agência Lusa, com Afonso Costa a admitir que as participações foram “poucas” e, das que se concretizaram, o autarca responsabilizou os moradores por “ainda existir muita confusão e desconhecimento sobre as competências da junta”. O autarca notou que “existem sempre muitas ideias e propostas” mas que depois “não são legíveis” porque ora “ultrapassam o valor estipulado” ora, como na maioria, “sugerem obras que estão fora da nossa esfera de intervenção”. Algumas das propostas que foram consideradas ilegíveis acabaram por ser concretizadas pela câmara municipal, nomeadamente intervenções em escolas da freguesia e na Estrada Nacional 10.
“Não sabia que havia um orçamento participativo aqui em Alverca e ainda bem que há. Mas era bom se o divulgassem mais”, lamenta Conceição Dias, moradora na avenida Capitão Meleças. Na rua Joaquim Sabino Faria dois moradores contactados por O MIRANTE também desconheciam a iniciativa. “Não soube de nada e não costumo ir ao site da junta, ele é confuso, isso devia estar afixado nas ruas e publicado em jornais. Facebook não tenho”, explica Pedro Oliveira. Para este morador uma proposta pertinente visaria a rua da estação. “É preciso melhorar o trânsito ali, meter melhores passeios e arranjar maneira de reduzir a velocidade dos carros”, conta.
A falta de divulgação da iniciativa é ocasionalmente também falada por alguns eleitos nas assembleias de freguesia. Entre as obras já concretizadas pelo OP de Alverca e Sobralinho em anos anteriores está a requalificação de um parque infantil no Sobralinho e a reconstrução de um miradouro no bairro da Chasa.

População de Alverca voltou a virar costas ao orçamento participativo da junta

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...