uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Terreno começou a ser limpo após intervenção da Câmara de Santarém

Edição de 16.08.2017 | Sociedade

O proprietário do terreno abandonado junto à Avenida António dos Santos, em Santarém, já começou a limpar o espaço, depois de ter sido notificado pela Câmara de Santarém, à qual se queixaram moradores da zona. Desde ervas altas, silvas, ratos e lixo, nada falta no terreno abandonado que também circunda as habitações da Praceta Jaime Cortesão, junto ao antigo Campo dos Leões. Os moradores já se habituaram a conviver há muitos anos com este cenário mas estão preocupados com o risco de incêndio.
“O terreno é uma autêntica pólvora”, afirma Manuel Gonçalves, proprietário de uma oficina junto à praceta há 43 anos, contando que se houvesse ali um incêndio não seria a primeira vez. Há uns anos um incêndio durante a madrugada começou a consumir o mato do terreno. Na altura, explica, “foi alguém que entrou lá dentro e depois os cães não a deixaram sair e essa pessoa ateou fogo. A sorte foi a prontidão dos bombeiros”.
Manuel Gonçalves conta que já há algum tempo a câmara mandou cortar o mato ao pé da oficina, “mas foi só dessa vez”. A partir daí, o terreno ficou esquecido e “passei a conviver com ele todos os dias”, tal como Jorge Tomé, a residir na Avenida António dos Santos, uma das zonas afectadas por esse terreno. “Aquele terreno não só tem um aspecto desolador como também é perigoso. Se houver ali um incêndio não sei como vai ser”, admite o reformado de 80 anos. “Nós só pedimos às entidades que tenham um bocadinho mais de consideração pelos habitantes que moram aqui”, afirma.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...