Autárquicas 2017 | 04-10-2017 10:40

Isaura Morais quer deixar obra feita em Rio Maior no último mandato

Isaura Morais quer deixar obra feita em Rio Maior no último mandato

Presidente reeleita pela coligação PSD/CDS-PP reforçou a maioria absoluta no executivo

Cerca de duas horas após o fecho das urnas a tendência dos resultados já não dava grande margem a enganos e Isaura Morais assumiu pela primeira vez que tinha sido reeleita presidente da Câmara de Rio Maior, pela coligação PSD/CDS-PP que governa o município desde 2009. Após falar ao telefone com o pai e com o seu mandatário Pacheco Pereira, saiu da sala da residencial onde estivera com alguns apoiantes próximos a receber os resultados e percorreu a pé os poucos mais de 100 metros que a separavam da sua sede de campanha na Avenida Paulo VI. Pelo caminho passa por uma esplanada cheia de gente que assiste ao Sporting-FC Porto, que acaba empatado a zero, e recebe algumas felicitações.
Já na noite eleitoral, a vitória da coligação PSD/CDS foi categórica. Passa a ter cinco eleitos em sete no executivo (o PS mantém os dois) e conquista freguesias simbolicamente importantes, como Asseiceira. No total, a coligação vence em oito das 10 freguesias do concelho – só escaparam Arrouquelas para o PS e Azambujeira e Malaqueijo para um movimento independente - varrendo a CDU do mapa das freguesias, tal como aconteceu na câmara onde o comunista Augusto Figueiredo não conseguiu a reeleição, após a façanha de há quatro anos.
Na sede de campanha, às 21h30, já são muitos os que ali estão para vitoriar Isaura Morais, que vai tentando disfarçar as emoções. Para isso contribuem os inúmeros telefonemas que vai fazendo ou recebendo, como o de um padre que arranca alguns sorrisos e piadas na sala. “Nada como um padre para abençoar isto!”, exclama com humor antes de atender o telefone e de fazer um ponto da situação sobre a evolução dos resultados.
Atrás de um biombo improvisado, o seu núcleo duro político vai monitorizando os resultados no computador. O seu ainda vice-presidente Carlos Frazão, que sai agora do executivo, o número dois da lista, Luís Santana Dias, e o vereador Lopes Candoso são alguns dos presentes.
Isaura Morais diz que pretende “continuar a boa gestão” à frente da autarquia, procurando implementar todos os projectos que estão previstos, alguns deles já aprovados no âmbito do quadro comunitário de apoio Portugal 2020, como a requalificação da zona ribeirinha da cidade e a requalificação e alargamento do troço da Estrada Nacional 114 que serve a zona industrial. “No próximo mandato serei aquilo que sempre fui, sempre presente e próxima dos meus concidadãos”, disse a autarca a O MIRANTE, garantindo que vai ser “a presidente de tdoos os riomaiorenses”.

À margem

Tal pai tal filho

Já na noite eleitoral, a vitória da coligação PSD/CDS foi categórica. Passa a ter cinco eleitos em sete no executivo, ganhando mais um, e conquista freguesias simbolicamente importantes, como Asseiceira, nas mãos dos comunistas há muitos anos e para onde estava prevista festa rija nessa noite. Saborosas foram também as vitórias em Alcobertas e em Fráguas, onde os cabeças-de-lista foram impedidos de se candidatar pelo tribunal. Os seus substitutos mostraram-se à altura, com a curiosidade de, em Fráguas, ser o filho de José Manuel Azenha que vai suceder ao pai.

Um olho nas eleições e outro no futebol

A noite eleitoral foi também marcada pelo futebol. Em Rio Maior, a sede de campanha da coligação PSD/CDS encontrava-se paredes meias com a esplanada de uma pastelaria onde, num ecrã gigante, passava o jogo Sporting - FC Porto. E a verdade é que se, às nove da noite, os apoiantes de Isaura Morais já eram muitos na sua sede, os que preferiam estar a ver a bola não eram menos.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo