uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Sede da Académica de Santarém mais um ano sem as ambicionadas obras
O presidente do clube, António Torres, diz que Académica não tem dinheiro para adquirir edificio

Sede da Académica de Santarém mais um ano sem as ambicionadas obras

Acordo a três para reabilitação do imóvel não avançou e pode haver alteração de planos. Misericórdia de Santarém, proprietária do edifício, está mais interessada em vendê-lo do que em realizar as obras e depois arrendá-lo à câmara, que o cederia ao clube.

Edição de 06.12.2017 | Sociedade

Mais um ano a chegar ao fim e nada de novo aconteceu no edifício sede da Associação Académica de Santarém, onde a degradação vai aumentando devido às infiltrações e à falta de uso. O prédio da Travessa das Condinhas, no centro histórico da cidade, é propriedade da Santa Casa da Misericórdia de Santarém e está arrendado ao clube, que actualmente não utiliza as instalações devido ao mau estado das mesmas.
Nos últimos anos tem-se falado da possibilidade da sua recuperação, num processo a três que envolveria também a Câmara de Santarém, para além do clube e da entidade proprietária. O plano era simles: a Misericórdia contraía um empréstimo bancário para suportar os custos das obras e a Câmara de Santarém comprometia-se a pagar a amortização desse crédito em prestações mensais entre 1800 a 2000 euros durante 15 anos, a título de arrendamento do espaço.
Com isso garantia-se a reabilitação do edificado e uma sede renovada para o clube, cuja utilização contribuiria para a dinamização do centro histórico. Só que o provedor da Misericórdia de Santarém, Mário Rebelo, em declarações a O MIRANTE, diz estar agora mais inclinado para a venda do edifício do que para a solução anteriormente preconizada. O que abre nova frente negocial.
O clube, pelo seu presidente António Torres, diz que a Académica não tem dinheiro para essa aquisição. Já o presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves, afirma que essa é uma solução a ponderar, consoante os valores que forem postos na mesa. O autarca diz que vai marcar uma reunião com a Misericórdia para falar sobre o assunto.
Certezas no meio deste processo é que o edifício necessita de obras urgentes para evitar que as infiltrações causem mais estragos. “Estamos preocupados com o problema das infiltrações, até porque este tempo de seca não vai durar sempre”, declara o provedor da Misericórdia a O MIRANTE.
Recorde-se que no jantar de Natal de 2016 da Académica de Santarém, o presidente da direcção anunciou que em 2017, último ano do seu mandato, iria arrancar a reabilitação da velha sede. O que não vai seguramente acontecer. António Torres lamenta que o espaço ocupado pelo clube há várias décadas, carregado de memórias e de história, não possa ser usufruído pelos sócios e pela cidade e espera que o impasse seja ultrapassado.

Sede da Académica de Santarém mais um ano sem as ambicionadas obras

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...