uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Presbiacusia, a Necessidade de Intervenção Precoce
Odete Batista

Presbiacusia, a Necessidade de Intervenção Precoce

Edição de 03.05.2018 | Especial Saúde

A Presbiacusia representa uma perda progressiva da audição directamente ligada ao envelhecimento das estruturas sensoriais do ouvido interno, sendo a principal causa de surdez nos idosos.
Apesar de só ser perceptível a partir dos 60 anos, a perda progressiva já está instalada a partir dos 30 anos, ainda que apenas para a sensibilidade auditiva dos sons muito agudos superiores a 10KHz ainda com pouco impacto na comunicação. Apenas poderá ser mais perceptível em situações de grupo com muito ruído ambiente quando procuramos perceber uma mensagem verbal de um interlocutor sem pistas visuais.
Não existe qualquer tipo de solução médico-cirúrgica e a intervenção passa pela utilização de ajudas auditivas - as próteses auditivas.
À medida que a perda de sensibilidade dos sons agudos vai evoluindo, alguns sons da fala começam a ser também afetados, surgindo os primeiros sintomas de dificuldades na conversação. Existem fatores individuais ligados a aspetos genéticos, ambientais ou à combinação dos dois, que explicam o motivo pelo qual algumas pessoas apresentam uma presbiacusia mais precocemente do que outras e, consequentemente, sintam as dificuldades auditivas mais cedo.
Como aconteceu com Ludwig Van Beethoven que sofreu de uma surdez progressiva ao longo da sua vida, causando uma profunda angústia e um isolamento social também ele progressivo. Curiosamente, foi na fase de pior agravamento da sua audição que este génio musical, produziu a sua obra-prima, a Nona Sinfonia.
No entanto, e à medida que vamos envelhecendo, o nosso cérebro vai também perdendo algumas capacidades, entre as quais a plasticidade e capacidade de compensação: as estruturas neuronais perdem a capacidade de se adaptar e moldar a novas realidades e é tanto mais real quanto maior for o envelhecimento, a falta de estimulação ou a existência de pequenas agressões a nível das estruturas nervosas.
Tal cenário, explica o motivo pelo qual, também na presbiacusia, a intervenção precoce é importante. Logo que é detetado um défice sensorial, é fundamental que as estruturas cerebrais responsáveis por receber a informação auditiva, a nível cerebral, sejam estimuladas para que não percam a funcionalidade e, assim, possam conservar a memória auditiva.
O diagnóstico e a intervenção precoce na perda auditiva associada à idade são fundamentais para uma boa qualidade de vida do indivíduo idoso.
Assim, justifica-se plenamente que uma vez detetada uma perda sensorial, a pessoa afectada deva ser acompanhada num programa de reabilitação auditiva com vista a estimular o mais precocemente possível as estruturas sensoriais e neuronais. Deste modo, será possível potencializar a conservação das capacidades funcionais e também a memória auditiva.
A sua falta poderá causar danos irreversíveis nas estruturas nervosas responsáveis pela audição, comprometendo o sucesso de um programa de reabilitação auditiva mais tardio quando as estruturas cerebrais já não têm as mesmas capacidades.
Para que possamos assegurar um maior sucesso da intervenção, e para que o paciente possa retirar um benefício adequado de toda a tecnologia disponível nas modernas próteses auditivas, a intervenção e estimulação precoce da audição é fundamental.
* Audiologista, Audio Teste –
Centro Auditivo Widex

Presbiacusia, a Necessidade de Intervenção Precoce

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...