uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Quase quarenta postos de trabalho vão nascer no Valleypark
Cerimónia de assinatura do contrato decorreu no dia 4 de Junho

Quase quarenta postos de trabalho vão nascer no Valleypark

Empresa Cafécop, de Vila Chã de Ourique, vai construir novas instalações no Parque de Negócios do Cartaxo. Um investimento que ronda o milhão de euros.

Edição de 07.06.2018 | Economia

Quase quatro dezenas de postos de trabalho vão ser criados pela empresa Cafécop, com sede em Vila Chã de Ourique (Cartaxo), que vai construir as suas novas instalações no Valleypark – Parque de Negócios do Cartaxo. Um excelente sinal “não só para a empresa de vending (máquinas de venda automática), mas também para o concelho que permitirá que se fixe mais população”, afirmou o presidente da Câmara do Cartaxo, Pedro Magalhães Ribeiro (PS), durante a cerimónia de assinatura do contrato-promessa de compra e venda do terreno, na segunda-feira, 4 de Junho, nos paços do concelho.
Para o autarca, este investimento mostra as potencialidades do concelho para a atracção de empresas. Não só pela sua localização próxima da área metropolitana de Lisboa, permitindo às empresas expandir negócios, mas também por estar no centro do país, sendo possível chegar mais facilmente tanto ao norte como ao sul ou ao interior do país.
Pedro Magalhães Ribeiro não tem dúvidas que a possibilidade de se poder iniciar a comercialização de lotes da Área de Localização Empresarial foi talvez a notícia mais importante para o Cartaxo nos últimos 20 ou 30 anos. “Recordo-me, em 2013, das dificuldades que encontrámos nesta sociedade, de problemas com accionistas, com os credores, de financiamento e pagamento a quem se devia e ao nível da gestão de fundos comunitários. Mas há um ano ficou tudo resolvido e passámos a focar-nos na comercialização dos lotes”, lembra.
Durante a cerimónia, Frederic Alcaraz, fundador da Cafécop, adiantou que escolheu investir no Parque de Negócios do Cartaxo depois de avaliadas outras opções, incluindo a deslocalização para Lisboa, onde a Cafécop tem 80 por cento dos seus clientes. Mas a localização quer geográfica, quer para efeitos de acesso a fundos comunitários, por o Cartaxo estar integrado na NUTS II Alentejo, foi fundamental na decisão.
“Ter a sede da empresa no Cartaxo, a 30 ou 40 minutos dos nossos clientes, permite-nos manter todos os postos de trabalho que temos no Cartaxo, porque os trabalhadores têm de residir perto da sede”, para além “dos ganhos de eficácia e eficiência em termos de gestão de clientes, de recursos humanos e de logística”, afirmou o empresário.
Presente na cerimónia esteve também o presidente da sociedade Valleypark, José Eduardo Carvalho, que enalteceu o investimento, referindo que irá trazer grandes benefícios para o concelho não só a nível do emprego, mas também da habitação e do comércio. “Há um grande empenhamento por parte de todos para que seja um projecto de sucesso”, referiu o também presidente da AIP – Associação Industrial Portuguesa .

Investimento de um milhão de euros
O projecto, que inclui a mudança da sede fiscal em Janeiro de 2019 para o Cartaxo, prevê um investimento de um milhão de euros. A empreitada irá começar no segundo trimestre de 2019 e a empresa prevê estar instalada no Valleypark antes do final desse ano.
A Cafécop foi fundada em 2002 por Frederic Alcaraz. Sozinho, com apenas uma máquina de distribuição, o empresário de origem francesa e residente no Cartaxo fez nascer a empresa familiar que hoje gere juntamente com o filho Benoit Alcaraz. Um negócio que emprega actualmente 64 pessoas que iniciam o seu trabalho cerca das quatro da manhã, distribuindo-se por 21 rotas de distribuição entre a Guarda e Setúbal.

Quase quarenta postos de trabalho vão nascer no Valleypark

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...