uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Os gatos da Dona Patornila de Samora Correia continuam a incomodar vizinhança
Gatos estão no quintal de uma habitação da Avenida O Século

Os gatos da Dona Patornila de Samora Correia continuam a incomodar vizinhança

Câmara diz que animais em excesso têm de ser retirados de habitação e confirma fiscalização ao local. Senhora idosa esteve internada e a filha, com problemas de saúde, é a cuidadora dos animais.

Edição de 12.07.2018 | Sociedade

Há um número grande de gatos num quintal de uma habitação na Avenida O Século, principal artéria de Samora Correia, que incomoda vizinhos devido ao mau cheiro e à entrada dos animais em habitações e estabelecimentos próximos. Os gatos estão numa casa propriedade de Patornila da Conceição, uma octogenária natural da cidade e pessoa muito conhecida no meio.
Segundo informação do presidente da Câmara de Benavente, Carlos Coutinho (CDU), confirmada ao nosso jornal, o local já foi fiscalizado por um delegado de saúde, um veterinário e um fiscal municipal, tendo sido declarada a insalubridade do logradouro onde são mantidos os animais.
Conforme O MIRANTE deu conta na edição de 28 de Junho, os moradores, incluindo comerciantes, vizinhos da moradia, dizem-se prejudicados pelos maus cheiros e pela presença dos gatos, assim como pelo facto de sentirem que estão perante um caso de risco para a saúde pública.
Quase três semanas depois da notícia de O MIRANTE, continua tudo na mesma. Os gatos continuam no logradouro, os maus cheiros continuam a fazer-se sentir e os gatos incomodam enquanto se passeiam durante o dia pelas habitações e estabelecimentos comerciais mais próximos da habitação.
A Câmara de Benavente, por insistência de O MIRANTE, confirma que a fiscalização ao local deu-se sem a entrada na propriedade tendo sido feita através de uma propriedade vizinha.
Questionado sobre o que a autarquia vai fazer nos próximos tempos se os proprietários não acudirem à situação, Carlos Coutinho diz que foi dado um prazo para reposição da legalidade. Só depois de expirado esse tempo a autarquia pode tomar medidas. De acordo com a lei em vigor, o número máximo de gatos por habitação em prédio urbano não pode exceder os quatro. A repórter de MIRANTE confirmou a existência de pelo menos uma dezena mas é possível que sejam muitos mais.

Dona Patornila está doente e esteve internada no hospital
Na altura em que fizemos reportagem no local, avisados pelos vizinhos queixosos, não conseguimos saber do paradeiro da dona da casa nem aparentemente os vizinhos tinham informação sobre o seu paradeiro.
Um dos seus filhos escreveu entretanto uma carta para o nosso jornal, em nome da mãe e falando por ela, pondo em causa o trabalho editorial e a veracidade do caso.
A carta tem o mérito de informar que a Dona Patornila tem um problema grave de saúde e que esteve internada em unidade hospitalar. A sua filha, que ela diz na carta ter problemas de incapacidade por doença mental, devia ser a cuidadora dos gatos. Segundo a carta, a filha da Dona Patornila terá entrado “em estado de descompensação agravado com a notícia falsa e perturbadora”.
Segundo o filho da D. Patornila a notícia de O MIRANTE levou algumas pessoas ao leito hospitalar para lhe manifestarem “profunda estranheza” pela notícia.
Na carta, com data de 1 de Julho, a signatária diz ainda que a filha pode deixar de comer mas nunca deixa os gatos passarem fome, que a notícia só pode ser encomenda de um vizinho conflituoso e que até à data da missiva não tinha conhecimento de qualquer intervenção dos serviços da camara municipal.
Dona Patornila, pela pena do seu filho, diz ainda na mensagem que é uma mulher de paz e que tem O MIRANTE em grande consideração e apreço.

Os gatos da Dona Patornila de Samora Correia continuam a incomodar vizinhança

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido