Sociedade | 06-12-2004 10:36

Metade dos portugueses pensa que ensino do português piorou

Metade dos portugueses considera que o ensino da língua portuguesa piorou, enquanto 23 por cento acha que está na mesma e 16 por cento diz que melhorou, segundo os resultados de uma sondagem divulgada hoje pelo Público.Ainda segundo este inquérito, 60 por cento dos portugueses questionados afirma que deve existir um maior esforço para evitar a entrada de palavras estrangeiras no uso corrente da língua, enquanto 35 por cento não considera que este seja um problema importante.

No entanto, 61 por cento dos inquiridos coloca o português entre as cinco línguas mais faladas no mundo e 25 por cento entre as dez primeiras. Quanto à importância do português no mundo, durante os últimos anos, 43 por cento defende que está a aumentar e 40 por cento refere que estagnou, enquanto 14 por cento diz que diminuiu.Nesse sentido, 40 por cento dos portugueses inquiridos considera que é importante promover a língua portuguesa, mas admite haver coisas mais importantes.Já 16 por cento acha que a promoção do português no mundo deverá ser uma prioridade nacional absoluta e 37 por cento diz que é uma das principais prioridades.Quanto ao Acordo Ortográfico, assinado em 1990 pelos países de língua oficial portuguesa, 34 por cento dos inquiridos defende que deve ser discutido novamente e alterado, enquanto 31 por cento considera que devia entrar em vigor quanto antes e 10 por cento que não devia sequer existir.Esta sondagem foi realizada para a RTP e o Público pelo Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade Católica nos dias 02 e 03 de Dezembro, através de 760 inquéritos válidos, com uma margem de erro de 3,6 por cento e um nível de confiança de 95 por cento

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Vale Tejo