Sociedade | 24-12-2004 12:17

Abusavam de deficiente mental

O alegado abuso sexual continuado praticado sobre uma jovem deficiente mental de 27 anos esteve na base da detenção, pela Polícia Judiciária (PJ), de três indivíduos com idades entre os 28 e os 72 anos. O caso passou-se na segunda-feira, 13 de Dezembro, em Foros de Valverde, Coruche. Presentes ao tribunal, os três homens ficaram detidos em prisão preventiva.Os suspeitos de abuso sexual da jovem Maria Eunice são o pai, de 59 anos, o cunhado, de 28 anos, que com ela viviam na mesma casa, e um homem de 72 anos que vive a cerca de dois quilómetros da habitação da suposta vítima. Na segunda-feira, cerca das 17h00, agentes da PJ, foram à casa onde vivia Maria Eunice, levando detidos os dois familiares e, posteriormente, o vizinho. Em casa, ficaram sozinhos os três sobrinhos da jovem. No mesmo dia, às nove horas da manhã, os elementos da PJ estiveram no Centro de Recuperação e Integração de Coruche (CRIC), que Maria Eunice frequenta há cerca de cinco anos. Tentaram levar a jovem para sua guarda, o que acabaram por não fazer, indo a sua casa à tarde, com os mandados de captura sobre o pai, o cunhado e o vizinho.Pai e mãe, a irmã e o cunhado e mais três filhos deste casal viviam sob o mesmo tecto com Maria Eunice até há bem pouco tempo, quando o pai passou a residir separado da mulher, num barracão não muito longe da casa.Apesar de ninguém dizer com certeza o que se passava, vizinhos confirmaram-nos que era frequente ver os três homens juntos na casa, principalmente o vizinho, que ali se deslocava há vários anos.A família vive com grandes carências económicas e não se conhece qualquer actividade profissional ao pai, que já trabalhou na construção civil, enquanto a mãe está a sofrer com problemas de saúde.Anteriormente, Maria Eunice frequentou o Núcleo das Vicentinas, uma instituição ligada à igreja com representação em Coruche que auxilia os pobres e presta ajuda na inserção de pessoas com problemas sociais e económicos. Situação que se manteve até há cinco anos, altura em que considerou que a jovem estaria melhor numa instituição como o CRIC, dada a sua deficiência. Segundo O MIRANTE pôde apurar, Maria Eunice é uma jovem fisicamente saudável, mas com uma deficiência profunda, “sem noção do que diz”, afirmaram-nos.O CRIC está agora encerrado para férias de Natal, mas a jovem continua lá durante boa parte do dia, até à hora em que recolhe para casa de outro cunhado. A notícia das detenções causou grande burburinho na povoação, nada habituada àquelas movimentações com a polícia. A “culpa, inocência e sentenças” são temas de conversa nos cafés das redondezas.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo