Sociedade | 02-02-2005 17:08

Carris manchados de sangue em Alhandra

Uma mulher de 67 anos foi a terceira vítima mortal colhida por um comboio rápido na passagem de nível junto da estação de Alhandra, no concelho de Vila Franca de Xira desde 7 de Dezembro. O acidente registou-se no dia 27 de Janeiro.A travessia utilizada por centenas de pessoas não tem qualquer aviso sonoro ou visual, não tem barreiras que impeçam o acesso directo, e a visibilidade de quem vem do lado da EN10 é reduzida. Há uma curva a 100 metros que impede ver a aproximação dos comboios que vêem de Lisboa e circulam a mais de 100 km/h local Em resposta a um pedido de esclarecimentos de O MIRANTE, o gabinete de comunicação da Refer informou que vai substituir o estrado de madeira da passagem de nível por um piso de borracha dentro de duas semanas, no máximo. Depois vai alargar a plataforma criando um interface com o pavimento da estrada. Segundo a Refer, vão ser colocados gradeamentos de protecção, nos dois lados, na zona final do cais e serão construídos dois labirintos para impedir o acesso directo à linha. A Refer informa ainda que está a estudar a melhor solução de desnivelamento e que qualquer intervenção será enquadrada nas obras de modernização da linha do Norte. Reportagem alargada na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1352
    24-05-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1352
    24-05-2018
    Capa Vale Tejo