Sociedade | 16-02-2005 10:25

Tráfico de droga dá penas suspensas

Três elementos de uma família que se dedicava ao tráfico de droga na zona de Vila Nova da Barquinha foram condenados pelo Tribunal do Entroncamento a penas entre os 18 meses e os dois anos de prisão. A execução das penas foi suspensa. O chefe de família e quarto arguido no processo, acusado da prática como cúmplice do crime de tráfico de estupefacientes, foi absolvido.Segundo o acórdão lido esta segunda-feira, ficou provado que os arguidos Francelina Flores dos Santos, Deolinda dos Santos e Joaquim Gonçalo dos Santos procederam a várias entregas de heroína, em pacotes de plástico, em quantidades não apuradas, a troco de dez euros. No dia da sua detenção, em 3 de Junho de 2004, a GNR encontrou numa viatura da família, de marca Volvo, 3,099 gramas de droga. A heroína, acondicionada em 8 saquetas de plástico, estava escondida na coluna de som da viatura. Como elementos de prova foram também fundamentais os dados colhidos através de escutas telefónicas. O tribunal não deu como provado que o chefe de família, Joaquim Manuel Gonçalves dos Santos, tivesse conhecimento da actividade da sua mulher e dos filhos e tivesse agido com conivência. E por isso decidiu-se pela sua absolvição. Notícia mais desenvolvida na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo