Sociedade | 19-02-2005 20:20

Jorge Sampaio defende que é preciso votar para vencer a crise

O Presidente da República afirmou hoje que as eleições de domingo têm "uma importância acrescida", considerando que o voto é fundamental para ajudar o país a vencer a crise.

"Portugal está numa encruzilhada. Neste momento, a escolha da melhor forma de responder à crise portuguesa está nas mãos dos cidadãos", sustentou Jorge Sampaio na mensagem de apelo ao voto difundida pela rádio e televisão públicas.Sampaio recordou que "em democracia, todas as crises têm uma solução" e manifestou confiança na escolha que vier a ser feita pelos eleitores."Confio no sentido de responsabilidade do eleitorado, na sua seriedade, na sua lucidez. Amanhã, vamos votar com responsabilidade cívica e confiança na nossa democracia e no nosso país. Estou certo que a escolha dos portugueses será, como no passado ficou demonstrado, a boa escolha para Portugal", acentuou.O Chefe de Estado lembrou que as legislativas de domingo realizam-se num "momento de grande dificuldade e exigência e num contexto de crise", tendo por isso "uma importância acrescida"."Todos concordam - e a campanha eleitoral confirmou esta apreciação - que há uma crise que se manifesta por diversas formas", argumentou.Jorge Sampaio admitiu que "nem todos os responsáveis políticos e analistas fazem a mesma avaliação das causas e da sua caracterização, da sua extensão e da sua profundidade"."Mas nenhum deles nega, porém, a sua existência e a necessidade imperiosa de lhe responder com reformas estruturais e com medidas urgentes e eficazes. Todos concordam que não é possível deixar andar, como se nada fosse", salientou.Na opinião de Sampaio, "os próximos tempos continuarão a não ser fáceis", até porque "as dificuldades e os desafios só se vencerão com o empenhamento de todos"."Votar é, sem dúvida, uma forma fundamental e consequente de afirmar esse empenhamento. Portugal exige-o de todos nós. A indiferença e o alheamento da vida da comunidade não resolvem nenhum problema. Pelo contrário:com indiferença e alheamento todos os problemas se multiplicam e se agravam", advertiu."Como cidadãos, temos uma parte de poder e uma parte de responsabilidade que não podemos alienar, quando somos chamados a escolher os nossos representantes", frisou.O Presidente aproveitou para sublinhar que, quando decidiu dissolver o Parlamento e convocar eleições antecipadas, fê-lo de acordo com os seus "poderes constitucionais" e "tendo em conta o interesse nacional e ciente da importância para o país de que esta eleição se reveste"."Em democracia, é o eleitorado que detém a soberania primeira e é ele a fonte de legitimidade. Ao votar, o eleitorado responsabiliza e responsabiliza-se.Estou certo de que o fará com integral consciência das dificuldades desta hora, mas, ao mesmo tempo, com confiança nas instituições e no futuro do nosso país", afirmou."Em cada eleição é, de facto, o futuro que cada eleitor escolhe e determina - o futuro de cada um e o futuro de todos", concluiu Jorge Sampaio.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo