Sociedade | 23-02-2005 17:06

Tratamento na ETAR de Alpiarça não é eficaz

A Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) que serve os concelhos de Almeirim e Alpiarça não tem capacidade para tratar todos os efluentes que são para lá canalizados. Devido à sobrecarga do sistema estão a ser lançadas águas poluídas para a vala de Alpiarça, pondo em causa a limpeza do curso de água que custou 1,5 milhões de euros há quatro anos.Segundo confirmou a O MIRANTE o presidente da Câmara de Almeirim, José Sousa Gomes (PS), a ETAR “está em sobrecarga”. O autarca ressalva que a falta de capacidade do equipamento para tratar os esgotos pode estar relacionada com ligações clandestinas de condutas. Sousa Gomes aponta também o facto de alguns esgotos pluviais (que recolhem a água da chuva) estarem ligados ao sistema doméstico como uma das causas para a ETAR estar em situação de ruptura. E admite que “o tratamento dos efluentes não está a ser feito eficazmente”. Reportagem mais desenvolvida na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1351
    16-05-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1351
    16-05-2018
    Capa Médio Tejo