Sociedade | 25-04-2006 11:15

Cavalaria preparada para a mudança

A Escola Prática de Cavalaria (EPC) está a estudar um plano com vista a minimizar os transtornos dos militares e funcionários da unidade provocados pela transferência da EPC de Santarém para Abrantes. No dia em que se comemoraram os 116 anos desta escola do Exército, a 20 de Abril, o comandante da unidade, coronel Tiago Vasconcelos, disse estar preparado para apresentar soluções na altura certa.Tiago Vasconcelos considerou que esta é a principal preocupação resultante da transferência da EPC. Já que afecta 22 funcionários civis e 150 militares, dos quais 60 do quadro permanente, que residem na zona de Santarém. “Estaremos preparados para fazer algumas propostas que minimizem eventuais transtornos de natureza pessoal”, sublinhou o coronel no seu discurso.Recorde-se que a deslocalização da EPC faz parte de uma reorganização da componente fixa (quartéis, bases, aeroportos militares) do sistema nacional, aprovada no dia 3 de Novembro de 2005, por unanimidade, pelo Conselho Superior de Defesa Nacional.A EPC vai ocupar as instalações do Regimento de Infantaria nº 2 (RI 2) que vão ficar vagas com a transferência do centro de instrução geral, que actualmente ali estava a funcionar, para Queluz (Sintra).Dirigindo-se aos militares e aos convidados presentes, Tiago Vasconcelos referiu que a data da transferência da unidade ainda não está definida. E encarou a mudança com naturalidade.Com a mudança em perspectiva evitaram-se os gastos com a manutenção das instalações. Segundo o comandante racionalizou-se o espaço com vista a obter alguma poupança, considerando que não fazia muito sentido investir na componente fixa. Mesmo assim optou-se por utilizar uma parte das poupanças na melhoria das instalações das praças que precisavam de obras urgentes.As energias e as verbas disponíveis têm sido assim canalizadas para a melhoria da instrução ministrada pela escola e para a modernização tecnológica. Nesse sentido, anunciou Tiago Vasconcelos, aumentou-se e modernizou-se o parque informático e alargou-se o número de pontos de acesso à Internet dentro da unidade.O coronel anunciou também a recente criação de um núcleo de investigação e reflexão de questões técnicas militares. Responsável por comunicações que visam a valorização e a actualização permanente do corpo de instrutores da escola. Visa também elaborar pareceres sobre questões relacionadas com a EPC ou o Exército.Esta não é a primeira vez que a Escola Prática de Cavalaria muda de casa. Entre 1890 e 1902 a EPC esteve localizada em Vila Viçosa, mudando depois para Torres Novas, onde permaneceu até 1957. Ano em que é instalada em Santarém.A Escola Prática de Cavalaria foi criada por decreto de 17 de Abril de 1890, tendo sido definido como patrono da arma de cavalaria Joaquim Mousinho de Albuquerque.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo