Sociedade | 17-05-2006 17:13

Ossadas abandonadas em encosta junto ao cemitério de Santarém

Dezenas de restos de lápides tumulares e ossadas de corpos exumados foram hoje descobertos pela Câmara de Santarém na encosta junto ao cemitério, revelou hoje o presidente da autarquia, que abriu processos disciplinares contra vários funcionários municipais."Vi aquele espectáculo macabro e dei conhecimento ao Ministério Público", disse à agência Lusa Francisco Moita Flores, que se mostrou transtornado com o facto das ossadas terem sido despejadas sem cuidado na encosta.O caso foi detectado depois dos serviços camarários terem ido ao local para tapar um buraco aberto no muro do cemitério, por onde "os cães costumavam entrar".Segundo Moita Flores, o buraco foi mandado abrir no anterior mandato e seria por aquela zona que os corpos exumados foram "largados pelas barreiras", explicou.Na encosta, Moita Flores encontrou restos de corpos, "ossadas, cabeleiras e dezenas de peças de roupa" que estavam "espalhados por toda a encosta"."Nunca vi uma coisa destas tão macabra", afirmou o autarca, que foi durante muitos anos inspector da Polícia Judiciária.Segundo o autarca, os corpos foram abandonados "por alguém" que não os quis acondicionar devidamente depois de terem sido exumados."As pessoas mesmo depois de mortas têm dignidade e os corpos não podem ser assim tratados", afirmou o autarca, que não aceita desculpar esta acção com a eventual falta de espaço do cemitério."Uma coisa não pode ter nada a ver com a outra", afirmou Moita Flores que diz já ter aberto processos disciplinares aos funcionários deste sector.Por seu turno, a PSP também já tomou conta do caso, através da brigada de investigação criminal, e esta quinta-feira deverá ir ao local o Instituto de Medicina Legal.Em causa estão crimes como a profanação de cadáver ou contra a saúde e ambiente e Moita Flores promete levar o caso até "às últimas consequências".Lusa

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo