Sociedade | 07-02-2008 08:52

Polícia não paga renda, água e luz no Cartaxo, Entroncamento e Ourém

Há câmaras na região que para além de cederem de borla as instalações à PSP para terem as suas esquadras ainda lhe pagam as facturas de água e electricidade das instalações policiais. Uma situação herdada de há décadas que não agrada aos actuais autarcas mas que salvaguarda o bom relacionamento institucional entre as duas entidades. E são garante da continuidade e bom desempenho da força de segurança naquelas cidades.A informação foi dada em tom de desabafo pelo presidente da Câmara de Ourém. Referindo-se ao facto de a direcção de infra-estruturas da PSP não ter aceite o espaço que a autarquia pretendia ceder para instalação de uma nova esquadra – por não poder ali edificar um edifício tipo – e de ter de procurar outro terreno municipal para o efeito, David Catarino (PSD) lamenta-se. “Já não bastava usarem gratuitamente um edifício da câmara e de se lhe pagar a água e a luz ainda temos de ter um terreno específico para se fazer uma nova esquadra”.Não é só no município de Ourém que existe a situação. No Entroncamento, a câmara paga uma média mensal de 500 euros de electricidade pelo funcionamento da esquadra, também instalada num edifício cedido pela câmara. Para garantir o normal funcionamento da esquadra na cidade, a Câmara do Cartaxo paga não só a electricidade e a água mas também consumíveis como papel e tinteiros.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1359
    11-07-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1359
    11-07-2018
    Capa Médio Tejo