Sociedade | 05-05-2009 07:34

Adjudicadas obras de requalificação do parque das laranjeiras em Almeirim

As obras de requalificação da praça Lourenço de Carvalho em Almeirim foram adjudicadas pela câmara municipal na segunda-feira, 4 de Maio, à empresa espanhola Ibersilva. Os trabalhos que podem iniciar-se a partir do momento em que seja assinado o contrato entre a empresa e a autarquia vão custar 849.208 euros e têm um prazo de execução de 120 dias. Na mesma altura o município aprovou a contracção de um empréstimo bancário no valor de 261.904 euros para pagar a parte que cabe ao município, já que o projecto é financiado por fundos comunitários. A praça que serve de estacionamento e que é conhecida por parque das laranjeiras, vai deixar de ter os actuais três arruamentos, sendo construído um novo em calçada de granito para permitir o acesso dos moradores às suas casas e às ruas da zona. Ao longo da rua com velocidade limitada vão ser criados alguns lugares de estacionamento para apoio ao comércio local. A requalificação inclui a plantação de várias árvores, a instalação de esplanadas e de um parque infantil e a colocação de um ecrã gigante para a exibição de filmes e até jogos de futebol. A adjudicação das obras foi aprovada pela maioria socialista e pelo vereador do PSD, Pedro Pisco dos Santos e com os votos contra do vereador Francisco Maurício, eleito pelo PS mas incompatibilizado com o presidente da câmara, e da vereadora da CDU, Manuela Cunha. Francisco Maurício considerou que se trata de um mau projecto e que as obras são um luxo em tempo de crise. Já a vereadora justificou que não foram criadas no imediato alternativas para o estacionamento, o que vai prejudicar o comércio da zona. Este projecto veio substituir um outro que a câmara tinha idealizado há uns anos e que previa a construção de um parque de estacionamento subterrâneo. O presidente da câmara, Sousa Gomes (PS) já tinha justificado a O MIRANTE que esta ideia foi abandonada por haver receios de problemas com infiltrações tomando como exemplo algumas caves existentes na cidade. A câmara chegou a comprar um terreno devoluto à entrada da praça por 400 mil euros, onde ia ser aberta a entrada para o parque subterrâneo. Sousa Gomes considera que o actual projecto “é um bom projecto que vem dignificar aquela praça, criando uma zona de estar e de lazer com benefícios para o comércio local”. Entretanto a autarquia criou um novo parque de estacionamento a cerca de cem metros da praça com uma capacidade de metade dos lugares e pretende adquirir um outro espaço contíguo para aumentar o espaço. As negociações estão num impasse e o presidente admite avançar com um processo de expropriação. A ideia é posteriormente construir um silo de estacionamento em altura, numa primeira fase com dois pisos.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo