Sociedade | 01-09-2010 07:04

Estacionamento pago no centro de Santarém está para breve

O alargamento da área de estacionamento pago à superfície no centro de Santarém está para breve e as reacções já começam a ouvir-se. Na reunião do executivo de segunda-feira, os vereadores do PS questionaram as marcações que estão a ser feitas no pavimento em diversos pontos da cidade e criticaram o facto de ainda não ter sido prestada informação aos residentes das zonas abrangidas. António Carmo (PS) considera que, pelo que viu das marcações, o espaço destinado ao estacionamento das viaturas “encolheu”, para assim permitir a criação de mais lugares pela empresa que ficou com a concessão do estacionamento por 50 anos. Criticou também que zonas de via pública como na Avenida António dos Santos tenham sido transformadas em zonas de estacionamento pago. O vereador com o pelouro das Obras Municipais e Urbanismo, João Leite (PSD), referiu que tudo o que está a ser feito está de acordo com a lei e adiantou que na próxima reunião de câmara, no dia 6 de Setembro, vai haver novidades acerca do tarifário e do regulamento que o tutela. Esses documentos terão ainda de ser aprovados na assembleia municipal, a realizar dia 17 de Setembro, antes de entrarem em vigor. João Leite acrescentou que os residentes e os trabalhadores terão direito a descontos no tarifário, sendo certo que ao fim de semana o estacionamento será gratuito, tal como nos dias úteis entre as 20h00 e as 08h00. O cartão de residente, segundo afirmou o presidente da câmara Francisco Moita Flores (PSD), vai custar 25 euros por ano. Os automobilistas vão conhecer em breve uma nova realidade no que toca ao estacionamento na cidade: num raio de 500 metros em redor do parque de estacionamento subterrâneo pago do Jardim da Liberdade o estacionamento à superfície também vai ser tarifado. As excepções são o Largo do Choupal e a zona próxima do cemitério, designadamente a rua onde está instalado o quartel da GNR. O estacionamento no Campo Infante da Câmara também continuará gratuito. A parceria público-privada entre a Câmara de Santarém e a empresa Alexandre Barbosa Borges (ABB) S.A. envolveu um negócio na ordem dos nove milhões de euros. A empresa minhota assumiu a construção do parque subterrâneo e a requalificação urbana à do Jardim da Liberdade e ficou com o monopólio do estacionamento tarifado em Santarém por 50 anos a troco de uma renda anual de 240 mil euros. A proposta inicial da ABB previa um parque subterrâneo com dois pisos e 760 lugares, que acabaram por ser reduzidos para cerca de 460 após reformulação do projecto. O parque vai ter um espaço destinado a carregamento da bateria de veículos eléctricos, no âmbito da adesão ao projecto de mobilidade eléctrica.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo