Sociedade | 21-09-2010 19:58

Homem que matou ex-namorada em pastelaria de Santarém ouvido em julgamento à porta fechada

Homem que matou ex-namorada em pastelaria de Santarém ouvido em julgamento à porta fechada
O ex-namorado de uma das sócias da pastelaria Real, em Santarém, que foi morta a tiro por este no estabelecimento, começou a responder na terça-feira no Tribunal de Santarém. O arguido, António Sousa, pediu para prestar declarações no início da audiência à porta fechada, o que foi aceite pelo colectivo de juízes presidido por Joana Magalhães. A audição decorreu durante cerca de duas horas e das quatro testemunhas previstas serem ouvidas apenas prestou testemunho o filho da vítima, que disse ao tribunal que a mãe foi ameaçada várias vezes pelo arguido. Diogo Moita, de 19 anos, foi ouvido sem a presença do arguido por se sentir inibido e por já ter sido ameaçado por ele. Contou ao tribunal que António Sousa enviou mensagens de telemóvel quase diárias à sua mãe, Alice Duarte, a ameaçá-la depois de ela ter acabado com a relação. Em algumas o arguido dizia que ou ela ficava com ele ou havia sangue. O filho da vítima contou também que no dia 31 de Outubro de 2009 o arguido ameaçou Alice com uma faca e uma pistola e obrigou-a a ter relações sexuais. Relatou ainda ao tribunal que em determinada altura o arguido foi apanhado pela Polícia com uma arma de fogo e que este caso foi para tribunal. Realçando que a partir desse momento o arguido deixou de mandar mensagens ameaçadoras e passou a enviar mensagens para Alice com pedidos de desculpa. Recorde-se que Alice Duarte foi morta a tiro de caçadeira na manhã de segunda-feira, dia 23 de Novembro de 2009, tinha na altura 46 anos. A vítima estava a trabalhar quando cerca das 10h00 foi alvejada.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1351
    16-05-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1351
    16-05-2018
    Capa Médio Tejo