Sociedade | 01-12-2010 00:02

Ex-motorista da Luz e Irmão condenado a pagar 900 euros à empresa

Ex-motorista da Luz e Irmão condenado a pagar 900 euros à empresa
Um ex- motorista da Luz & Irmão, transportadora de Riachos, que fez greve de fome à porta da firma foi condenado pelo Tribunal de Torres Novas a pagar 900 euros de indemnização aos antigos patrões por danos não patrimoniais. Carlos Campino viu a acusação cair de crime de ofensa a pessoa colectiva agravada para simples e foi ainda condenado a pagar ao tribunal 900 euros resultantes de uma pena de 90 dias de multa à taxa diária de dez euros. A Luz & Irmão queixava-se que o trabalhador tinha ofendido o bom-nome da empresa com expressões de que teve conhecimento durante o processo disciplinar que culminou com o seu despedimento por justa causa. Tudo se passou a 7 Dezembro de 2008 num parque para pesados em Itália quando Carlos Campino, perante colegas de trabalho ,disse a um deles que o ia “lixar” e à firma “porque tenho em meu poder os teus discos” (que são usados no tacógrafo e que registam a velocidade e os tempos de descanso dos motoristas). A leitura da sentença foi lida na tarde de terça-feira, 30 de Novembro. “O Tribunal não acreditou na sua versão dos factos e lamenta que não tenha assumido ter feito as declarações que fizeram. Espero que lhe tenha servido de lição”, disse o juiz no final da sessão. O ex-motorista, defendido pelo advogado Carlos Tomé, disse a O MIRANTE que vai recorrer da sentença.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo