Sociedade | 29-12-2010 07:18

Utentes descontentes com filas de espera nas Águas de Santarém

Dezenas de pessoas aguardavam na tarde de terça-feira, 28 de Dezembro, a sua vez para pagar a factura de água em atraso nas Águas de Santarém, após terem recebido uma carta de aviso de corte caso não o fizessem no prazo de dez dias úteis. Como os serviços encerram para tolerância de ponto a 31 de Dezembro, os utentes não quiseram arriscar e não tiveram outro remédio senão esperar. Contactada por O MIRANTE, Marina Ladeiras, Directora-Geral da empresa Águas de Santarém explicou que esta afluência de utentes aos serviços acontece sempre que as pessoas recebem as cartas de aviso de corte. “Estamos a enviar avisos referentes a Agosto e Setembro pelo que estas pessoas tiveram muito tempo para pagar dentro do prazo útil. Como não o fizeram, verifica-se esta situação porque sabem que a água faz falta em casa”, disse a gestora. A mesma responsável garantiu que todas as pessoas que tirarem senhas são atendidas no mesmo dia, independentemente dos serviços encerrarem ás cinco e meia e que a tolerância de ponto atribuída aos serviços a 31 de Dezembro será considerada. “Quem tiver que pagar até ao dia 31 de Dezembro ainda o poderá fazer no primeiro dia útil de Janeiro”, garantiu. O MIRANTE esteve no local e ouviu relatos de pessoas que já se tinham deslocado mais do que uma vez aos serviços de tesouraria mas acabaram por desistir devido á grande quantidade de senhas que tinham á sua frente. “Isto é uma aberração. Já estive aqui de manhã mas fui-me embora porque estava muita gente. Agora regressei e tenho 82 pessoas à minha frente”, queixava-se José Lourenço, morador no Vale de Santarém que tirou o dia de trabalho para resolver o problema de uma factura em atraso que lhe dá dez dias para regularizar a situação. O facto de estar a pagar estacionamento pago na Praça Visconde Serra do Pilar onde funcionam os serviços também desagrada o utente que tem que estar atento para não ser multado. Mais irritado estava João Gomes que recebeu um aviso de corte quando, normalmente, paga a factura por débito bancário. Munido do comprovativo bancário, preparava-se para reclamar nos serviços de atendimento geral mas tinha quase cem pessoas à sua frente. Maria Silvina esteve uma hora para conseguir ser atendida mas já tinha tentado resolver a situação na véspera. “Ontem estive cá mas fui-me embora porque tinha outras coisas para fazer. Acho mal estarem apenas duas funcionárias a atender esta multidão. Já que fecham a 31 de Dezembro deviam reforçar o pessoal nestes dias”, opinou. Quem tem facturas em atraso, ou seja que não pagou dentro não pode pagar por multibanco ou transferência bancária. Marina Ladeiras recordou que as pessoas, em alternativa da deslocação à tesouraria, podem liquidar os valores em dívida enviando um cheque ou vale postal. Informou ainda que a empresa está a trabalhar na possibilidade das pessoas puderem pagar o valor constante no aviso de corte através de multibanco mas que isso obriga a uma mudança na plataforma informática e que muito em breve podem pagar a factura de água através do Payshop.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo