Sociedade | 12-12-2011 00:20

Câmara de Vila Franca promete mão pesada para quem não estimar habitações municipais

A Câmara Municipal de Vila Franca de Xira não vai tolerar as famílias que não estimem devidamente as habitações municipais que lhes são confiadas, propriedade do Estado, e deixa um aviso: quem não estimar as casas arrisca-se a ser despejado e em alguns casos a pagar a conta dos estragos que causar. O alerta foi dado pela própria presidente da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, Maria da Luz Rosinha (PS), na manhã de 8 de Dezembro, dia em que distribuiu 21 casas a agregados familiares carenciados do concelho. As 21 habitações haviam sido completamente destruídas pelos anteriores ocupantes e foram precisas obras de 280 mil euros para as tornar novamente habitáveis.“Muitas pessoas já conhecem o novo regulamento de habitação municipal, que regulamenta os direitos e os deveres dos ocupantes das casas municipais. Mas temos ainda muitos casos em que as pessoas não utilizam a fracção como devia ser e arruínam as casas rapidamente. Sobretudo por uso indevido, temos situações em que algumas pessoas até faziam fogueiras dentro de casa, em apartamentos”, lamenta a O MIRANTE Conceição Santos (PS), vereadora com o pelouro da habitação social. Além das fogueiras são destruídas as caixas de correio dos prédios, as portas, janelas, armários de cozinha, fogões, tomadas eléctricas e até os roupeiros. Muitas vezes as casas não sobrevivem um ano. “Agora as pessoas podem ser responsabilizadas e podem ser despejadas pela destruição que causam na casa”, garante a vereadora. O regulamento aprovado no início do ano vem por um fim à impunidade de quem vive numa casa emprestada e não a preserva em boas condições.* Notícia desenvolvida na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Edição Vale Tejo