Sociedade | 02-03-2012 09:00

Metade da população de Ourém ainda não tem rede pública de esgotos

Ourém esteve a marcar passo enquanto outros municípios da região investiam nas redes de saneamento básico, o que faz com que hoje o concelho tenha apenas uma cobertura de 46 por cento nestas infraestruturas enquanto outros concelhos têm já perto de 90 por cento. Para resolver a situação o presidente da Câmara de Ourém, Paulo Fonseca, que cumpre o primeiro mandato, quer fazer as obras necessárias para aumentar a qualidade ambiental, mas como o dinheiro não abunda a ideia é concessionar o sector a uma empresa privada que faça as obras e que depois passe a receber as tarifas que actualmente são cobradas pela autarquia. O projecto a desenvolver em três fases envolve um investimento de 48 milhões de euros, segundo disse a O MIRANTE Paulo Fonseca. Prevê-se que as obras se desenrolem até 2030 e que possam começar ainda este ano. O projecto vai abranger cerca de 20 mil habitantes e envolve 514 quilómetros de tubagens. Esta é uma obra que o município vai candidatar o “máximo possível” a financiamento comunitário. Segundo o autarca, o dinheiro dos fundos comunitários está disponível e não está a ser utilizado por isso vão aproveitar para o fazer. * Noticia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo