Sociedade | 07-03-2012 12:24

Moita Flores "envolvido" no caso da sua assessora que se queixa de violência doméstica

O nome do presidente da Câmara de Santarém, Moita Flores, foi referido várias vezes ao longo da primeira sessão do julgamento do marido de Ana d'Avó, assessora do autarca, que está acusado de dois crimes de violência doméstica. O arguido, Guilherme Martins, referiu em declarações ao tribunal que os problemas conjugais se complicaram quando a mulher começou a trabalhar mais directamente com Moita Flores. Mas ressalvou que não acreditava que Ana d'Avó tivesse um "relacionamento" com o presidente, apesar de confirmar que corriam esses rumores na vila de Amiais de Baixo, concelho de Santarém, onde acusado e ofendida residem. Rumores que a queixosa e a sua mãe e irmã, arroladas como testemunhas disseram terem sido espalhados pelo arguido. Guilherme Martins é acusado pelo Ministério Público de no dia 29 de Junho de 2011, quando a ofendida lhe comunicou que queria a separação, ter agarrado o braço da mulher apertando-o com força tendo provocado um hematoma que originou cinco dias de incapacidade para trabalhar. É também acusado de no dia 19 de Julho, quando tentava entrar na casa onde Ana dó'Avó ficou a residir, ter empurrado a porta atingindo-a com uma chave de um carro que tinha na mão provocando um corte na zona do peito que originou oito dias de baixa à lesada. NOTÍCIA DESENVOLVIDA NA EDIÇÃO SEMANAL EM PAPEL NA QUINTA-FEIRA

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo