Sociedade | 03-05-2012 13:57

13 de Maio em Fátima era uma festa para os bombeiros de Ourém

13 de Maio em Fátima era uma festa para os bombeiros de Ourém
Nos anos 70 do século passado os soldados da paz dos Bombeiros Voluntários de Ourém (BVO) ansiavam pela peregrinação do 13 de Maio. Esses dias, em que tinham que estar de prevenção, eram uma paródia e os jovens bombeiros aproveitavam para ver as jovens peregrinas. Os mais afoitos metiam conversa e alguns, com mais sorte, conseguiam trocar números de telefone ou moradas para se corresponderem. Júlio Henriques, que tinha na altura 20 anos e tinha entrado há pouco tempo para os bombeiros, recorda com boa-disposição esses dias de animação e convívio.Júlio Henriques, 60 anos, é o actual comandante dos BVO e é também o soldado da paz mais antigo no activo nessa corporação, que comemora este ano 100 anos de existência. Um dos episódios que guarda na memória é o seu baptismo nos bombeiros. Era quinta-feira e chovia. Júlio Henriques, mais conhecido por Julito, estava na Câmara de Ourém, onde trabalhava, quando a sirene do quartel ecoou pela localidade. Assim que chegou ao quartel soube para onde ia. Um incêndio numa habitação em Caxarias. A situação foi controlada sem complicações mas o bombeiro não esquece a adrenalina que sentiu nesse dia.O actual comandante dos BVO guarda esse episódio na memória por ter sido a primeira experiência mas há um momento que, em 43 anos ligado aos bombeiros, não vai esquecer: os incêndios que devastaram o norte do concelho de Ourém em 2005.* Reportagem completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1360
    19-07-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1360
    19-07-2018
    Capa Vale Tejo