Sociedade | 16-05-2012 15:27

A mulher que manda no trânsito há 30 anos

A mulher que manda no trânsito há 30 anos
É uma mulher de armas e anda armada. Chama-se Manuela e tem o bélico apelido de Guerra apesar de ser pela paz e pelo diálogo. A chefe principal da PSP de Santarém comanda há dezenas de anos a esquadra de trânsito, apesar de normalmente estas serem lideradas por oficiais. Uma situação que revela as capacidades e a competência de uma mulher que está há 30 anos a trabalhar na cidade onde nasceu e que faz, literalmente, parar o trânsito. Foi colocada na esquadra integrando o primeiro grupo de mulheres polícias a seguir ao 25 de Abril. Os primeiros tempos não foram fáceis. Como era conhecida havia muita gente que “se armava em engraçadinha” porque a conhecia. Mas a chefe impôs-se e ganhou o respeito dos condutores e da cidade. E “não há dinheiro nenhum que pague isso”.No início da carreira, o que mais custou à então jovem na casa dos 20 anos “foi lidar com a falta de entendimento e respeito” de alguns que não gostavam de ver mulheres polícias e de outros que a conheciam e pensavam que ela podia fechar os olhos às infracções. Manuela lembra-se de há uns anos, quando circulava de moto perto do mercado municipal, ter-se deparado com um condutor em sentido proibido. Estava de cabelo curto e capacete. O homem começou a tratá-la por senhor, depois por menino. Até que disse que não era menino nenhum mas uma senhora e aí entornou-se o caldo. “Disse-me para ir para casa coser meias e tratar do almoço para o marido, que as mulheres não tinham sido feitas para serem polícias mas para tratarem da casa e dos filhos”, conta. REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO SEMANAL EM PAPEL DESTA QUINTA-FEIRA

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo