Sociedade | 10-01-2013 13:42

População de Salvaterra não tem bombeiros com capacidade para socorro rápido

A população de Salvaterra de Magos tem uma corporação de bombeiros sem capacidade para socorrer prontamente durante as 24 horas do dia. Aos voluntários faltam meios e pessoal com formação adequada para responder a acidentes ou doenças graves e muitos serviços de emergência têm sido assegurados pelas corporações vizinhas e com alguma frequência pelos Bombeiros de Almeirim. Já houve até a necessidade de mobilizar ambulâncias de Azambuja, o que faz com que o socorro demore muito mais tempo. Com este cenário, o presidente da Federação Distrital de Bombeiros, Diamantino Duarte, não tem dúvidas que a corporação é a pior do distrito em termos de capacidade operacional.Este ano a corporação teve mais de 1500 chamadas de emergência médica o que lhe permitia receber um posto INEM (ambulância do Instituto Nacional de Emergência Médica), mas não pode porque não há pessoal com formação adequada exigida pelo instituto. O comandante dos bombeiros, José Alberto Vitorino, reconhece a situação e esclarece que muitos dos operacionais assalariados ou já não têm idade ou não têm habilitações para frequentarem os cursos do INEM. E que a situação se deve também ao facto de, durante muitos anos, se ter descurado a formação dos elementos do corpo de bombeiros. Para agravar a situação, os bombeiros que estavam a tempo inteiro suspenderam os contratos de trabalho por atraso nos pagamentos dos ordenados e os serviços estão a ser assegurados por voluntários consoante a sua disponibilidade.* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo