Sociedade | 19-01-2013 15:05

Santarém é o distrito onde mais aumentou número de cantinas sociais

O Governo terminou o ano de 2012 com 595 cantinas sociais de norte a sul do país, registando-se em Santarém o maior reforço em Dezembro, com 61 novas cantinas, revela um relatório da Confederação Nacional de Instituições de Solidariedade.O relatório, que pretende ser um contributo para a avaliação do Programa de Emergência Alimentar e das Cantinas Sociais, foi feito com base num inquérito enviado às Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) associadas da CNIS, tendo respondido 124, do total de 207 que em Outubro tinham o serviço de cantina social.Com base nos dados do Instituto de Segurança Social (ISS), enviados à CNIS para a elaboração do relatório, havia em Outubro de 2012 um total de 428 cantinas sociais distribuídas de norte a sul do país, número que aumentou 39% em Dezembro para 595.Destas 595 cantinas sociais, 324 pertencem a instituições que são associadas da CNIS, o que representa quase 54,5%. Em Outubro, do total de 428 cantinas a funcionar, 207 estavam em IPSS associadas da CNIS, representando, por isso, 48,36% do total.Os dados do ISS permitem também perceber que, no final de 2012, a maioria das cantinas sociais estavam localizadas no distrito de Santarém (77), logo seguido de Lisboa (71), Braga (53), Beja (41) e Viseu (40). O distrito de Viana do Castelo é o que tem menos cantinas sociais, com 11.“Nesta última fase de Dezembro, não se registou reforço no número de cantinas sociais nos distritos de Aveiro, Bragança, Castelo Branco, Évora, Porto, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu”, lê-se no documento.Acrescenta a CNIS que, na mesma fase, o distrito de Santarém foi aquele que registou o maior reforço na abertura de cantinas sociais, tendo passado de 16 em Outubro para 77 em Dezembro.Para além de Santarém, houve um reforço de 29 novas cantinas em Setúbal, 27 em Lisboa, 24 em Braga, nove em Leiria, oito em Portalegre, quatro em Coimbra, três em Faro, uma em Beja e outra na Guarda.Especificamente em relação às IPSS associadas da CNIS, o distrito com maior incidência de cantinas sociais é o de Santarém (57), seguido de Lisboa (46), Bragança (31) e Setúbal (25).Do total de 124 instituições com cantina social que responderam ao inquérito da CNIS, “63 (50,8%) abrangem um território essencialmente urbano, 56 (45%) abrangem um meio essencialmente rural, sendo que ainda 4 IPSS (3,2%) referem que a área abrangida pela cantina social reveste características mistas rurais/urbanas”.No que diz respeito ao total de refeições servidas, a CNIS adianta que as 124 IPSS que participaram no estudo têm contratualizadas com a Segurança Social mais de 7.046 refeições, tendo em conta que quatro não responderam a esta questão.“Usando a média de refeições/dia por cantina social nas IPSS que participaram (58,7 refeições/dia/cantina), podemos concluir que a totalidade das IPSS associadas da CNIS com cantina social (207) disponibilizava diariamente 12.151 refeições, em Outubro de 2012. Seguindo o mesmo raciocínio para as IPSS que em Dezembro de 2012 assumiam uma cantina social, o número total de refeições confeccionadas/dia será de 19.019”, diz a CNIS.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo