Sociedade | 24-01-2013 18:38

Gases não nocivos motivaram encerramento da cantina do Centro Escolar de Salvaterra de Magos

O disparo de um alarme na cantina do Centro Escolar de Salvaterra de Magos, durante a manhã de quarta-feira, 23 de Janeiro, deveu-se à detecção de gases provenientes de fécula de batata que se encontrava numa caixa na cantina. A informação surge num comunicado da Câmara Municipal de Salvaterra de Magos, depois da vereadora com o pelouro da educação, Margarida Pombeiro (BE) ter revelado na reunião de câmara do mesmo dia que o alarme tinha detectado acumulação de "monóxido de carbono".Durante esta quinta-feira esteve no centro escolar uma empresa externa a averiguar o que tinha acontecido. Os gases provenientes da fécula de batata resultam da natural degradação, embora a autarquia informe que a caixa onde se encontra esta substância é vazada com um calendário específico, que está de acordo com a sua capacidade de armazenamento. Estes gases não são nocivos, mas o sistema de alarme muito sensível acabou por detectá-los.A escola não precisou de ser evacuada na quarta-feira já que a cantina está afastada das restantes salas, mas por precaução os cerca de 400 alunos do pré-escolar e primeiro ciclo almoçaram em salas.A autarquia assegura ainda que o Centro Escolar de Salvaterra de Magos, inaugurado no passado mês de Setembro, está equipado com sistemas detectores de incêndio, gás, intrusão e transformador de isolamento, assegurando a total segurança dos profissionais e das crianças.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo