Sociedade | 31-01-2013 01:28

Presidente da Câmara de Salvaterra de Magos acusada pelo Ministério Público de falsificação de documentos

Presidente da Câmara de Salvaterra de Magos acusada pelo Ministério Público de falsificação de documentos
A presidente da Câmara de Salvaterra de Magos, Ana Cristina Ribeiro (BE), foi acusada pelo Ministério Público (MP) de um crime de falsificação de documentos. O processo surge na sequência de uma investigação da Polícia Judiciária (PJ) sobre a repavimentação de duas ruas em Glória do Ribatejo antes das eleições autárquicas de 2009 e em que o contrato de ajuste directo com a empresa que fez os trabalhos só foi feito depois de as obras estarem concluídas, segundo apurou a Inspecção-Geral da Administração Local (IGAL). A autarca disse a O MIRANTE que por discordar da acusação requereu a abertura da instrução do processo, realçando que "na devida altura" dará todas as informações.A investigação começou em 2011, quando uma denúncia do vereador do PS, Hélder Esménio, levou a IGAL a realizar uma inspecção ao município e a remeter as conclusões ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas. A PJ esteve a investigar o caso e no início de 2012 foi à câmara interrogar funcionários e autarcas do actual e anterior mandato. Segundo o relatório da IGAL, no dia 9 de Março de 2010 o júri do concurso emitiu um parecer favorável à adjudicação da repavimentação da Rua de Muge e Rua de Coruche, em Glória do Ribatejo, à empresa Construções Pragosa, por ajuste directo. O contrato, no valor de cerca de 124 mil euros, acabou por ser assinado em finais de Abril de 2010, perto de sete meses após as obras terem sido realizadas. * Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo