Sociedade | 07-11-2013 00:06

Câmara de Tomar quer exigir pagamento de renda pelas instalações cedidas à ACT

A Câmara Municipal de Tomar vai exigir que a Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) pague uma renda mensal pela ocupação do edifício da antiga Polícia Judiciária, na Alameda Um de Março, onde estão a decorrer obras para acolher esse serviço que esteve em vias de deixar a cidade. A informação foi prestada na reunião de executivo camarário de 31 de Outubro pela presidente da autarquia, Anabela Freitas (PS), que considera estar a existir "chantagem" por parte da administração central que, por sua vez, diminui cada vez mais as transferências de verbas para as autarquias. O vereador do PSD, João Tenreiro, alertou para o facto de existir um protocolo assinado pelo anterior executivo e a ACT no sentido de que seria a autarquia a assegurar as obras no edifício e que não seria paga qualquer mensalidade pela ocupação do mesmo, a fim de evitar a sua deslocação para concelhos vizinhos. Anabela Freitas referiu que entende essa posição mas que "não ficaria de consciência tranquila" se, pelo menos, não tentasse que pagassem a mensalidade uma vez que vão ocupar um espaço que poderia ser alugado a outros interessados. * Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo