Sociedade | 23-11-2013 00:10

Unidade de Saúde de Vialonga aberta há oito anos está com problemas de infiltrações

A Unidade de Saúde Familiar de Vialonga tem oito anos e já está com problemas de construção, sobretudo infiltrações que provocam constrangimentos ao funcionamento. A direcção da unidade já informou a administração regional de saúde que ainda não mandou reparar a situação. Há tectos negros da humidade em algumas salas e quando chove é preciso colocar-se baldes em alguns espaços para aparar os pingos. Os problemas são visíveis no corredor, nos gabinetes dos médicos, nas salas de espera e nas escadas de acesso ao piso inferior. "Não é raro termos que andar a apanhar pingos de chuva com baldes dentro das salas de atendimento. Também já tivemos que colocar cartões no chão do piso inferior para as pessoas não escorregarem" afirma a coordenadora da unidade de saúde, Ana Isabel Correia. Os primeiros sinais de problemas começaram três anos depois da inauguração da unidade e têm vindo a agravar-se nos últimos tempos. "Devido às infiltrações a sala de espera já tem um buraco no tecto" diz a coordenadora temendo que este possa ceder um dia destes e provocar ferimentos em algum utente ou profissional. Apesar dos incómodos, garante Ana Isabel Correia, ainda não foi necessário encerrar qualquer espaço. Não há certezas de que a derrocada de uma barreira ao lado da unidade de saúde familiar não tenha provocado rachas no edifício e agravado as infiltrações. * Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo