Sociedade | 02-12-2013 13:16

Jovem suspeito de esfaquear mortalmente no centro histórico de Tomar remete-se ao silêncio em julgamento

Jovem suspeito de esfaquear mortalmente no centro histórico de Tomar remete-se ao silêncio em julgamento
O jovem de 23 anos suspeito de ter esfaqueado mortalmente Artur Sousa a 9 de Março deste ano, após uma briga numa rua do centro histórico de Tomar, preferiu remeter-se ao silêncio e não prestou declarações na primeira sessão do julgamento, decorrida na manhã desta segunda-feira, 2 de Dezembro, no Tribunal Judicial de Tomar. Aconselhado pela advogada de defesa, J.A conhecido na cidade pela alcunha de “Nana”, disse ao Colectivo de Juízes que preferia fazer declarações mais tarde. Detido preventivamente no Estabelecimento Prisional de Leiria está acusado do crime de homicídio qualificado e detenção e arma proibida. Os pais de Artur pedem uma indemnização de 150 mil euros por danos morais e patrimoniais.Tal como noticiado por O MIRANTE na ocasião, o crime remonta à madrugada de 9 de Março, entre as cinco e as seis horas, ocasião em que o arguido, após uma discussão e pancadaria com a vítima, terá ido a casa buscar uma faça com a qual o perseguiu. Artur Sousa, 30 anos, foi encontrado em estado inconsciente na Rua Joaquim Jacinto, a poucos metros da Praça da República, acabando por falecer no dia seguinte no Hospital de Abrantes, para onde foi encaminhado. O suspeito nega a autoria do crime.* Notícia desenvolvida na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo