Sociedade | 12-12-2013 00:05

Rosa Cruz conta o inferno que viveu durante sete dias na prisão

Rosa Cruz conta o inferno que viveu durante sete dias na prisão

Mulher de Alpiarça, reformada por invalidez, foi presa por não ter pago multa a que foi condenada no âmbito de um processo judicial. Foi levada de casa pela GNR sem saber o que a esperava, deixando os dois filhos de 17 anos sozinhos e entregues à sua sorte. A generosidade da população permitiu juntar os 900 euros necessários para pagar a dívida em menos de 24 horas. A história teve final feliz mas Rosa Cruz não esquece o 'inferno' que viveu durante uma semana, criticando a actuação das autoridades.

Rosa Cruz diz que, por mais que tente, nunca vai conseguir esquecer o inferno que viveu durante os sete dias em que esteve presa no Estabelecimento Prisional de Tires, perto de Cascais. Num caso que perdeu em tribunal foi condenada a pagar 900 euros.Como não tinha esse dinheiro, Rosa Cruz acabou por ser condenada a cumprir pena de 100 dias de prisão.No entanto, a generosidade da população de Alpiarça, onde Rosa Cruz, de 45 anos, vive há mais de duas décadas, fez com que fosse possível juntar os 900 euros necessários para resgatá-la do cativeiro. Em todo este "inferno", como descreve várias vezes ao longo da conversa com O MIRANTE tudo o que passou, Rosa aponta o dedo à actuação da GNR de Alpiarça que diz não ter sido a mais correcta."Bateram-me à porta e disseram-me, de forma muito simpática, que tinha que os acompanhar. Não estranhei porque há uns três anos aconteceu o mesmo quando tive que ir ao Tribunal de Almeirim assinar uns papéis. Só na esquadra é que me disseram o que se estava a passar mas garantiram-me que a minha advogada ia resolver o assunto e, no máximo, passava apenas uma noite fora de casa", recorda. Rosa voltou a casa apenas para buscar alguma roupa interior e disse a um dos filhos, que estava em casa com gripe (o outro tinha ido para a escola), que ia tratar de uns assuntos e que no máximo no dia seguinte ficaria tudo resolvido e voltaria para casa. Mas nada disso aconteceu e Rosa Cruz foi detida no dia 28 de Novembro. O problema é que com toda a agitação não levou consigo os medicamentos que tem que tomar diariamente. * Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo