Sociedade | 29-08-2015 13:43

Presidente dos Bombeiros da Golegã diz que há pessoas que não merecem a farda

Na sequência da briga no quartel entre dois sub-chefes que estão suspensos de funções.

O presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Golegã considera que "há bombeiros que não merecem usar a farda que lhes foi confiada", num comentário ao caso de agressões no quartel entre dois sub-chefes da corporação. António Elias, em declarações a O MIRANTE, diz lamentar o que aconteceu e classifica o caso como um episódio "triste". O dirigente refere que a associação está a fazer todos os esforços para que sejam apurados todos os factos e sublinha que esta situação "causa uma má imagem dos bombeiros". "As pessoas têm de ter consciência disto", realça. Os dois sub-chefes dos Bombeiros Voluntários da Golegã desentenderam-se no quartel na quinta-feira, 20 de Agosto, e um deles partiu de imediato para a agressão. Situação que segundo testemunhas não é a primeira vez que acontece no quartel. Os dois elementos envolveram-se numa briga e o que foi agredido em primeiro lugar teve de ser assistido no Hospital de Torres Novas, para onde foi transportado pelos colegas que estavam de serviço ao socorro em ambulância. A briga tem a ver com questões antigas entre os dois bombeiros, que fazem parte do quadro dos bombeiros há muitos anos e que são assalariados da associação. O presidente da associação diz a O MIRANTE que a direcção tem cumprido as suas obrigações com os bombeiros, nomeadamente no pagamento atempado dos ordenados, e apostado nas boas relações para que exista paz interna. António Elias garante que até já foi pago o 13º mês aos elementos do quadro de pessoal contratado para que as pessoas possam também estar mais tranquilas. * Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Vale Tejo