Sociedade | 04-11-2015 12:20

Património histórico da Póvoa pode ser recuperado em 2016

A lapa do Senhor Morto e o oratório de São Jerónimo, dois dos mais importantes elementos patrimoniais da freguesia da Póvoa de Santa Iria, que estão em muito mau estado de conservação há vários anos, podem vir a ser recuperados no decorrer de 2016. A informação foi avançada numa das últimas reuniões públicas da Câmara de Vila Franca de Xira pelo vereador responsável pelo pelouro da cultura, Fernando Paulo Ferreira (PS). O autarca explica que tem sido feito um trabalho de parceria com a Direcção Geral do Património Cultural (DGPC) e existe já, depois de anos de impasse, "uma aprovação de princípio quanto ao projecto de intervenção que, por indicação dessa entidade, passa primeiro por intervir no sistema de drenagem, o que está a ser estudado pelos serviços", explicou. Só depois dessa intervenção será possível decidir o que fazer em relação à futura requalificação daquele conjunto de construções religiosas, que remontam à época quinhentista. "Do ponto de vista da intervenção técnica o próximo ano poderá ser importante", frisou.O assunto foi levantado por Paulo Rodrigues, vereador da CDU no município e que é também morador naquela cidade. O autarca lembrou que as grandes opções do plano aprovadas para este mandato incluíam verbas para as obras naquele património mas que, "até à data", ainda nada foi feito "nem se vê rigorosamente nada" no local, lamentou. A recuperação deste património é uma novela que se arrasta há anos, com vários episódios de avanços e recuos mas sempre com um final igual: fica tudo na mesma. Com a diferença dos anos irem passando e dos espaços ficarem cada vez mais degradados. A lapa e o oratório estão situados dentro da Quinta Municipal da Piedade, um espaço gerido pela câmara. O oratório, edificado entre 1530 e 1540 para que o solitário camareiro-mor realizasse as suas preces, chegou a ser usado em algumas ocasiões por um sem-abrigo, como O MIRANTE noticiou. Nem sequer as grades que foram colocadas em redor do monumento impediam o homem de chegar ao interior do espaço. O tapume colocado por cima do oratório também cedeu nos últimos anos devido à queda de uma árvore, deixando-o exposto à chuva. Em 1983 os azulejos do interior da nave foram furtados e em 1996 foi roubada uma pedra em forma de concha que sobrepujava o brasão do pórtico.A lapa do Senhor Morto foi retirada há vários anos para sofrer um restauro que nunca aconteceu. A peça escultórica recria o local e os momentos que antecedem o sepultamento de Jesus. Devido ao facto de a imagem não se encontrar no local há vários anos já são muito poucos os que se deslocam ao monumento para prestar culto à imagem.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1356
    20-06-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1356
    20-06-2018
    Capa Médio Tejo