Sociedade | 10-11-2015 12:20

Espaços desportivos de Vialonga vandalizados após terem sido recuperados

O município de Vila Franca de Xira investiu vários milhares de euros a recuperar dois ringues desportivos em Vialonga mas pouco mais de dois meses após a sua reabertura ao público os espaços já estão todos vandalizados.Os equipamentos que foram destruídos estão situados no Parque Residencial da freguesia e na Granja. Os moradores da zona foram apanhados de surpresa pela onda de vandalismo e o desencanto é geral. Sobretudo porque num dos recintos _ situado no Parque Residencial _ foram usadas verbas do Orçamento Participativo, onde a população se empenhou e mobilizou para votar tendo em vista assegurar que o recinto seria recuperado. "É triste ver que meia dúzia de vândalos já deram cabo disto tudo. A polícia devia apanhá-los e obrigá-los a pagar os estragos cêntimo por cêntimo", critica Alfredo Almeida, morador, a O MIRANTE.Redes destruídas, pinturas, acessórios roubados e até marcas de pneus no piso _ revelando a presença de motas no interior de um dos ringues _ deixa também os responsáveis autárquicos incrédulos com a situação e começam a soar avisos: se é para isto que se gasta o dinheiro, então o melhor é não recuperar nada."A câmara gastou milhares de euros a recuperar estes dois ringues e está tudo destruído outra vez. O da Granja, aberto há um mês, está todo destruído. Começa a ser difícil estar a gastar dinheiro a recuperar estes equipamentos para depois a falta de civismo estragar tudo", lamenta José António Gomes (CDU), presidente da Junta de Vialonga.O assunto acabou por ser falado na última reunião pública de câmara que se realizou naquela freguesia do concelho. O presidente do município, Alberto Mesquita (PS), confessou a sua "frustração" pelo que está a acontecer com os recintos desportivos."Investimos tantos milhares de euros para depois isso ser tudo destruído por alguns. É com grande mágoa que vemos isso. É uma questão de falta de civismo e de falta de educação". Alberto Mesquita admite que é preciso uma "maior articulação com as forças de segurança" para permitir a vigilância a estes recintos e não exclui a necessidade de videovigilância em alguns locais, embora seja uma solução dispendiosa e complexa de implementar. "Investimentos de centenas de milhares de euros, feitos em prol da população, não podem ficar entregues à maldade destas pessoas", criticou o autarca.O caso não é único no concelho. No Forte da Casa um parque infantil inaugurado em 2009 acabou totalmente vandalizado poucos dias depois.* Notícia desenvolvida na edição semanal de O Mirante

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1355
    13-06-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1355
    13-06-2018
    Capa Médio Tejo