Sociedade | 12-11-2015 12:54

Estacionamento pago em Azambuja está para breve

A Câmara Municipal de Azambuja vai decidir, em breve, quais as zonas da vila onde o estacionamento vai passar a ser pago. As conversações estão em fase bastante adiantada e contemplam, entre outros intervenientes, a autarquia e a Associação do Comércio, Indústria e Serviços do Município de Azambuja (ACISMA), um dos principais interessados em resolver o problema do estacionamento desordenado na vila.O presidente da autarquia socialista, Luís de Sousa (PS), explicou que está "a trabalhar num projecto de estacionamento, em parceria com a ACISMA, entre outros, que deverá levar a que haja parquímetros ou outra forma de pagamento, sobretudo ao longo da estrada que atravessa a vila, a da câmara municipal. Mas não há ainda um prazo concreto para concretizar esta medida", afirmou.Já o vice-presidente e vereador com o pelouro da sinalização e trânsito, adianta que há prioridades a ter em conta na elaboração do plano. "Estamos a ver zonas de estacionamento condicionado em locais de grande afluxo como serviços de finanças, comércio e afins, porque é necessário haver lugares garantidos nessas áreas. Estamos a trabalhar com base num estudo que queremos aperfeiçoar", explica Silvino Lúcio.Representando a ACISMA e os interesses do comércio e indústrias locais, Daniel Claro, porta-voz da associação, explica quais os passos que têm sido dados. "Há várias hipóteses em cima da mesa. O que a ACISMA tem dito, dada a dimensão do comércio e as suas dificuldades, é que haja um período de uma hora em que o estacionamento não seja pago, porque se pode almoçar numa hora, fazer compras ou até mesmo utilizar serviços. O que se procura é manter a vitalidade do comércio", refere.Certo é que os comerciantes e industriais vêem com bons olhos o ordenamento do estacionamento na vila. "Esta medida é óptima para o comércio local, apesar de não resolver o problema central do estacionamento. O que se quer é disciplinar o estacionamento, mas tendo em conta os interesses do comércio. O maior problema são as pessoas que vão para o comboio e têm o estacionamento desordenado durante o dia inteiro", referiu.Estacionamento de pesados equacionadoOutro dos problemas debatido nesta altura é a resolução do problema do estacionamento dos pesados dentro da vila. Apesar de haver apenas alguns habitantes que são camionistas e usam o camião como meio de transporte até casa, o que complica o estacionamento, o certo é que a proximidade com várias empresas de logística e algumas indústrias motiva grande afluência de pesados ao local e o estacionamento nas bermas é frequente. A autarquia está a olhar para o actual recinto onde se realiza a feira para perceber se pode ser uma boa alternativa para o estacionamento destes veículos."Já foi aflorada a possibilidade de ser criado um parque para os pesados, mas ainda não foi definido. O local onde se realiza a actual feira é uma das hipóteses em cima da mesa", explicou Daniel Claro.* Notícia na edição semanal de O Mirante

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo